calendáriosSim, são as vacinas combinadas com vários componentes. O objetivo é diminuir o número de injeções e reduzir os eventos adversos. A vacina da gripe (influenza), por exemplo, pode ser aplicada com outras vacinas (no mesmo momento ou dias depois, sem intervalo mínimo entre elas), não havendo interferência na produção de imunidade por ela conferida.

A vacina da gripe é feita com vírus inativados (mortos) e não interfere na ação de outras vacinas, incluindo as de vírus vivos atenuados.

Quando houver necessidade de vacinação simultânea (isto é, mais de uma vacina sendo aplicada na mesma ocasião), procedem-se as administrações com seringas diferentes, e em locais anatômicos diferentes. De um modo geral, as vacinas dos calendários de vacinação podem ser administradas simultaneamente sem que ocorra interferência na resposta imunológica, exceto as vacinas contra a febre amarela, a tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), contra a varicela (catapora) e a tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) – compostas de vírus vivos atenuados – que devem ser administradas com intervalo de 30 dias.

Outras vacinas que podem ser administradas simultaneamente são Sêxtupla/Hexa: Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Haemophilus influenzae tipo B, pólio inativada e Hepatite B; Penta: Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Haemophilus influenzae tipo B e pólio inativada; Tetra bacteriana: Difteria, Tétano, Coqueluche acelular combinada com Haemophilus influenzae tipo B ou combinada com a pólio inativada Tetraviral:- Sarampo, Caxumba, Rubéola e Catapora.

Crianças menores de 2 anos não devem receber no mesmo dia as vacinas tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola) e febre amarela, porque alguns estudos indicam interferência na eficácia.

Leia mais:

Calendário de Vacinação 

Vacinação de campanha x vacinação de rotina 

Vacinas salvam 3 milhões de vidas por ano

 

Leia também: 

Informe Técnico – Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Ministério da Saúde.

Manual de Normas e Procedimentos para Vacinação Ministério da Saúde.

 

Jornalista: Carolina Landi