SNCT 375x255De 21 a 26 de outubro, a Fiocruz participou da 16ª edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), promovendo dezenas de atividades gratuitas de divulgação científica, cultura e lazer. As unidades da Fiocruz em diferentes estados do Brasil marcaram presença, inclusive Bio-Manguinhos, com seu estande simulando um minilaboratório de vacinas e a distribuição da cartilha Clubinho de Bio.

A SNCT é coordenada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e teve como tema "Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável". O minilaboratório interativo possui todas as etapas da produção de vacinas. A criançada conheceu como é um laboratório de vacinas e teve oportunidade de tirar fotos com jalecos. Dezenas de Clubinhos de Bio foram distribuídos e coloridos pelos jovens. A mesma revistinha pode ser baixada no site de Bio-Manguinhos, dentro da Casa do Zé Gotinha.

O minilaboratório é fruto de uma iniciativa da Vice-diretoria de Produção (VPROD) em parceria com a Assessoria de Comunicação (Ascom) de Bio-Manguinhos. A ação faz parte do Plano de Comunicação para incentivo à vacinação que será lançado em breve. O documento tem como norteador o combate às fake news sobre vacinas e saúde e o aumento das taxas de vacinação, que estão em declínio no Brasil e no mundo desde 2016.

Mais sobre o evento

“O SUS foi a maior revolução que esse país já teve, é o maior programa de distribuição de renda do Brasil”, disse o médico Drauzio Varella na conferência de abertura da SNCT. “A Estratégia Saúde da Família do Brasil é um dos melhores programas de saúde do mundo. É preciso valorizar seus profissionais. É preciso blindar a Saúde contra a interferência no mau sentido de uma política partidária”.

Para ele, o foco deve ser a prevenção. “Não podemos esperar as pessoas ficarem doentes para só então cuidar delas. O cuidado tem que começar lá atrás, investindo na atenção primária à saúde e na formação de médicos de família”, afirmou.

Drauzio destacou, ainda, que os brasileiros devem valorizar o conhecimento científico. “A ciência é fundamental para o desenvolvimento. Não reconhecer a importância da ciência é renunciar à soberania nacional”, finalizou. O médico foi recebido no Castelo pela presidente da Fundação, Nísia Trindade Lima, Paulo Gadelha, coordenador da Estratégia Fiocruz para Agenda 2030, e Valcler Rangel, chefe de Gabinete.

 

Jornalista: Gabriella Ponte, com informações do Twitter da Fiocruz | Foto SNCT: Alessandra Lopes – Ascom / Bio-Manguinhos