rituximabe faq

Indicado no tratamento de pacientes de Linfoma não Hodgkin e Artrite reumatóide, O rituximabe é um anticorpo monoclonal quimérico (murino/humano) que tem ação contra a molécula CD20, expressa na superfície de linfócitos B desde a célula pré-B até o linfócito B de memória, poupando as células-tronco e os plasmócitos. Os linfócitos recobertos de anticorpos anti-CD20 sofrem citotoxicidade mediada por células, por complemento e indução de apoptose. Ocorre rápida depleção de linfócitos B em níveis muito baixos na corrente sanguínea (efeito que dura de 6 a 12 meses), mas apenas parcial na medula óssea e no tecido sinovial. Como as células-tronco da medula óssea são poupadas, a geração de novas células B é mantida e seus níveis se recuperam entre 6 e 12 meses.

 

Que reações o rituximabe pode causar?

Linfomas não Hodgkin - O rituximabe pode causar reações durante a infusão semelhantes a alergia ou anafilaxia, como febre, prurido (coceira), exantema (alterações na pele), tosse, dor no peito, dispneia (falta de ar), broncoespasmo, queda de pressão. São feitas medicações antes do início da infusão para minimizar o risco desses sintomas. Rituximabe aumenta o risco de neutropenia e infecções durante a quimioterapia, além de reduzir a produção de anticorpos e a resposta a vacinação.

Artrite reumatóide - As reações alérgicas são as mais comuns e estão relacionadas à infusão da medicação. Para redução do risco e gravidade são administradas pré-medicações (anti-histamínico, anti-térmico e corticoesteróide intravenoso). Além disso, como se trata de medicação imunossupressora, deve-se ficar atento a sinais de infecção que, caso ocorram, devem ser prontamente informados a seu médico. É muito rara (menor que 0,01%) a infecção pelo vírus JC do sistema nervoso central, causando alterações de instalação lenta relacionadas a função cerebral, tais como: confusão mental, perda de força de um lado do corpo ou de um membro, desequilíbrio com dificuldade em caminhar e alteração da visão. Caso apresente um desses sintomas, você deverá comunicar ao seu médico. Também pode haver reativação do vírus da Hepatite B e o rastreio desse tipo de infecção é feito antes da aplicação do Rituximabe, se você sabe ser portador do vírus comunique ao seu médico.

 

Como o rituximabe funciona?

Linfomas não Hodgkin - O rituximabe é utilizado em conjunto com a poliquimioterapia para eliminar as células tumorais. O rituximabe se liga aos linfócitos que expressam CD20, levando a sua morte por 3 mecanismos principais – Citotoxicidade Celular Dependente de Anticorpos, Citotoxicidade Dependente de Complemento e Apoptose.

Artrite reumatóide - O rituximabe é um anticorpo monoclonal quimérico (murino/humano) que tem ação contra a molécula CD20, expressa na superfície de linfócitos B desde a célula pré-B até o linfócito B de memória, poupando as células-tronco e os plasmócitos. Os linfócitos recobertos de anticorpos anti-CD20 sofrem citotoxicidade mediada por células, por complemento e indução de apoptose. Ocorre rápida depleção de linfócitos B em níveis muito baixos na corrente sanguínea (efeito que dura de 6 a 12 meses), mas apenas parcial na medula óssea e no tecido sinovial. Como as células-tronco da medula óssea são poupadas, a geração de novas células B é mantida e seus níveis se recuperam entre 6 e 12 meses.

 

Como devo usar o rituximabe?

Linfomas não Hodgkin - O rituximabe é utilizado em conjunto com a quimioterapia para tratamento de linfomas B e LLC. É feito numa infusão venosa, imediatamente antes do início das outras medicações. Todos os pacientes com linfoma difuso de grande células, cujas condições clínicas permitam, tem indicação de tratamento quando recebem o diagnóstico da doença. No caso do linfoma folicular (e da LLC), nem todos os pacientes precisam de tratamento imediatamente após o diagnóstico. Cabe ao médico a decisão do momento adequado de iniciar a terapia, conforme sinais e sintomas apresentados pelo paciente.

Artrite reumatóide - Sua indicação na Artrite Reumatoide se dá nas formas refratárias da doença que não responderam às tentativas de controle, ou houve intolerância, a outros imunobiológicos. Seu uso deve estar preferencialmente associado a um medicamento sintético modificador do curso da doença (por exemplo, o Metotrexato).

O uso do Rituximabe é intravenoso, a dose é de duas infusões de 1.000 mg, IV, aplicadas com um intervalo de 15 dias. A dose pode ser repetida a cada 24 semanas ou baseada na avaliação clínica, mas não antes que 16 semanas. Há um protocolo a ser seguido para a infusão da medicação que difere entre as primeiras e segundas infusões de cada ciclo. Deve-se aplicar, ainda, medicações pré-infusão do Rituximabe com objetivo de diminuir o risco e gravidade de reações infusionais.

 

Quando não devo usar o rituximabe?

Linfomas não Hodgkin - Conforme as diretrizes do PCDT, os pacientes com linfoma difuso de grandes células não podem utilizar o rituximabe se tiverem exame positivo para HIV. O rituximabe também não deve ser usado se o paciente apresenta hepatite B ou C em atividade. Condições clínicas graves que impeçam início da quimioterapia, como infecções graves ou descontroladas e politrauma, também contraindicam o uso de rituximabe. Em geral, cabe ao médico assistente determinar se o paciente tem condições clínicas de iniciar o tratamento.

Artrite reumatóide - O Rituximabe não deve ser utilizado em caso de suspeita de infecção ativa ou em caso de suspeita de imunossupressão grave. Caso esteja em uso ou tenha feito uso recente de medicamento para tratar infecção, ou esteja apresentando febre ou qualquer sintoma sugestivo de infecção (como exemplos mais comuns: ardência ou dor ao urinar, tosse, diarreia, alteração da pele, perda de peso, cansaço inexplicado...) comunique ao seu médico antes de realizar a infusão para se certificar de que não haja infecção ativa.

 

Onde, como e por quanto tempo eu posso guardar o rituximabe?

Linfomas não Hodgkin - O rituximabe nesses casos é armazenado nos centros de tratamento oncológico e pacientes não precisam armazená-lo. A infusão venosa é feita no mesmo dia da quimioterapia e todas as medicações ficam sob controle do hospital ou clínica.

Artrite reumatóide – O rituximabe deve ser conservado sob refrigeração (entre 2 e 8 °C). Os frascos devem ser mantidos dentro da caixa para proteger da luz. O profissional da saúde saberá como armazenar o medicamento depois de aberto. O medicamento poderá ser guardado dentro de seu período de prazo de validade. Não descarte o medicamento sem a avaliação pelo farmacêutico, que poderá, caso necessário, descarta-lo em lixo apropriado.

 

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o rituximabe?

Linfomas não Hodgkin - Caso o paciente não compareça ao hospital para realizar a quimioterapia, deverá entrar em contato com seu médico para decisão quanto a remarcação da mesma.

Artrite reumatóide – Entre em contato com seu médico para informação de quando e como deverá ser feita a próxima dose.

 

O que fazer se usar uma quantidade maior que a indicada?

Linfomas não Hodgkin - O rituximabe é armazenado nos centros de tratamento oncológico e pacientes não fazem aplicação. A infusão venosa é feita no mesmo dia da quimioterapia e todas as medicações ficam sob controle do hospital ou clínica. Erros de dosagem nesses casos são muito incomuns.

Artrite reumatóide – Como a medicação é de uso intravenoso e sob supervisão médica, é pouco provável que haja superdosagem. A equipe de saúde poderá auxiliar no esclarecimento da dose aplicada, caso necessário.