Criado em 1967 e norma internacional desde 1972, o sistema de identificação International Standard Book Number (ISBN) pode ser compreendido como uma espécie de “impressão digital” a identificar cada livro publicado no mundo. O ISBN é composto por 13 algarismos, subdivididos em grupos que identificam informações como o tipo de obra, o país em que foi publicada e a organização responsável pela publicação. Desde 16 de abril, a sequência “69231” significa Bio-Manguinhos, nova “casa publicadora” registrada na Biblioteca Nacional.

“No Brasil, a organização desse sistema mundial fica a cargo da Fundação Miguel de Cervantes, um dos organismos da Biblioteca Nacional, local que agora passará a abrigar para a história as publicações que Bio-Manguinhos vier a publicar”, ressalta Priscila Nascimento, do Sigda, que esteve diretamente envolvida no processo de registro.

 

livros-isbn

A sequência “69231” é a identificação ISBN para ser utilizada em todos
os livros publicados por Bio-Manguinhos. Imagem: Creative Commons

 

Foram três meses de trabalho até conseguir o registro, uma solicitação feita inicialmente pelos consultores científicos de Bio, Akira Homma e Reinaldo de Menezes, para valorizar as publicações referentes aos seminários.

“Os Anais do III Seminário Anual Científico e Tecnológico são a primeira obra de Bio-Manguinhos a ser editada com o registro ISBN. É algo a ser comemorado, pelo maior reconhecimento acadêmico”, comenta Priscila, que identifica os pesquisadores de Bio como os principais beneficiados pela novidade. “Suas obras, se publicadas por Bio-Manguinhos, terão esse ganho de visibilidade, sendo depositados na Biblioteca Nacional”, ressalta. Segundo ela, os relatórios de atividade anuais e mementos terapêuticos serão publicações que também receberão o registro.

 

Jornalista: Paulo Schueler