A Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde iniciou no sábado (25) uma operação para vacinar 120 mil indígenas em todo o País. Uma força-tarefa de 2.867 profissionais irá percorrer os 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) até o dia 25 de maio. 

Serão disponibilizadas mais de 183 mil doses de vacinas contrahepatites A e B, rubéola, coqueluche, sarampo, caxumba, difteria, tétano, poliomielite, febre amarela, tuberculose, influenza, pneumonia e meningite, entre outras.

Além de novas vacinas do Programa Nacional de Imunização, a força-tarefa irá trabalhar na atualização da carteira de vacinação da população aldeada. 

 Foram destinados R$ 3 milhões e serão empregados em logística, aquisição de insumos e o transportea lugares isolados dos grandes centros.

Cerca de 1.500 trabalhadores são agentes indígenas de saúde e de saneamento. Também compõem a equipe médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, cirurgiões dentistas e auxiliares de saúde bucal, que integram as Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI).

“A novidade deste ano é universalizar a vacinação em todos os distritos. Antes, eram escolhidos  grupos prioritários de aldeias em alguns distritos", informa o secretário de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, Antônio Alves.

"Neste ano, preparamos nossas equipes nos 34 distritos para que todos, durante este mês, possam intensificar essas ações e ampliar a cobertura vacinal dos povos indígenas brasileiros”. Segundo o secretário, os profissionais irão verificar ainda quais as vacinas estão em dia e quais precisam de reforço.

A ideia é intensificar a imunização da população mais vulnerável, como crianças de até quatro anos, mulheres em idade fértil e idosos, que vivem em áreas de difícil acesso e onde há baixa cobertura vacinal. Os Distritos Sanitários Especiais Indígenas também definirão quais as áreas prioritárias de suas regiões.

 

indios-430x285

A ideia é intensificar a imunização da população mais vulnerável,
como crianças de até quatro anos. Imagem: Creative Commons

 

Ações integradas

O Mês de Vacinação da População Indígena (MVPI) integra a Semana de Vacinação nas Américas, liderada pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) desde 2005, e foi adotada pelo Ministério da Saúde em conjunto com a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe.

No ano passado, 153.566 doses de vacinas foram aplicadas em 125.904 indígenas de 1.040 aldeias. A campanha também promoveu atividades como avaliação nutricional, atendimento odontológico, testes rápidos de HIV, consultas de pré-natal e exames laboratoriais e clínicos, beneficiando 50 mil indígenas.

 

Saúde indígena

Desde a criação da Secretaria Especial, em 2010, o Ministério da Saúde tem ampliado o acesso à assistência médica para a melhoria da qualidade de vida de 305 povos indígenas, que congregam 5.150 aldeias e uma população de 688 mil pessoas.

O investimento em melhoria da qualidade de vida dos povos indígenas que vivem em aldeias mais que dobrou nos últimos três anos, passando de R$ 479 milhões, em 2011, para R$ 1,093 bilhão, em 2014.

Outro avanço importante é o aumento da presença de médicos nos Distritos Sanitários. O Programa Mais Médicos ampliou em 305 o número de profissionais atuando nessas áreas. O número de médicos passou de 206 para 511 desde outubro de 2013.

Além disso, pela primeira vez, todos os 34 distritos indígenas passam a contar com médicos nas equipes multidisciplinares de saúde indígena. A estrutura da Sesai conta com 34 DSEIs, 751 polos bases e 68 Casas de Saúde Indígena.

Fonte: Ministério da Saúde

 

Leia Mais:

arrow-2 Entenda, em detalhes, os sintomas mais comuns, tipos de transmissão e como se prevenir de diversas doenças 

 

 

Voltar à pagina inicial

Outras notíciasarrow-2