Em 11 de julho de 2008, Bio-Manguinhos inaugurou o Centro Tecnológico Konosuke Fukai, edificação com 1.500 m2. O conjunto de prédios, que inclui a área de produção de vacinas virais de Bio-Manguinhos, além do Laboratório de Experimentação Animal e dos departamentos de Controle e Garantia da Qualidade, é frequentado diariamente por centenas de profissionais.

Todos eles, sem exceção, deparam-se com a lembrança de Konosuke Fukai antes de começar cada dia de trabalho. Não apenas pelo nome do local que frequentam, mas também pelo busto que está na entrada principal. Por que tais homenagens? A explicação você conhece agora, na matéria que inaugura a série "Personagens do Campus".

Com o apoio e envolvimento pessoal de Konosuke Fukai, à época professor da Universidade de Osaka, o Instituto Biken e Bio-Manguinhos firmaram em 1982 acordo para a produção da vacina contra o sarampo. Dois anos depois, foi assinado o acordo para produção da vacina contra a poliomielite com o Instituto de Pesquisa de Poliomielite do Japão (JPRI).

 

konosuke430x285

Konosuke Fukai durante reunião no Castelo Fiocruz,
na década de 80. Imagem: Divulgação - CCS / Fiocruz

 

As vacinas contra as duas doenças resultaram da transferência de tecnologia entre instituições dos dois países, e esse apoio possibilitou a Bio-Manguinhos colaborar para o Brasil erradicar a poliomielite e controlar o sarampo.

Sua colaboração não poderia passar despercebida. Por isso a lembrança de Bio ao homenageá-lo. Durante a cerimônia de inauguração do Centro, Akira Homma deu a medida exata do papel de Konosuke para o Instituto: “Graças a ele, demos um verdadeiro salto tecnológico”.

Microbiologista, Konosuke também trabalhou em prol da erradicação do sarampo e da poliomielite na Indonésia, além do Brasil. Por fim, foi presidente da Sociedade Japonesa de Microscopia Eletrônica

 

Jornalista: Paulo Schueler
Imagem da home: Vinícius Marinho / Fiocruz Multimagens

 

 

Voltar à pagina inicial

Outras notíciasarrow-2