A IBM e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) estão lançando hoje um projeto para desvendar genes de microrganismos. Chamado “Desvendando Mistérios de Genomas”, ele ainda tem como parceiro a Universidade de New South Wales, na Austrália.

O objetivo do projeto é analisar grandes quantidades de dados de genes de diversos organismos – desde animais até comunidades de microrganismos que vivem na casca de uma árvore.

Para isso, será usada a plataforma World Community Grid. Ela é uma iniciativa da IBM que usa processamento ocioso de computadores e smartphones para lidar com dados de pesquisas científicas. Ao instalar a aplicação, o processamento do computador (quando não for usado) é direcionado para contribuir com as pesquisas cadastradas no sistema.

“Hoje, o World Community Grid tem três milhões de computadores e dispositivos móveis. A missão dele é apoiar pesquisas científicas. Ele é muito usado para estudar doenças que envolvam sequências de DNA. Ter um projeto brasileiro nessa rede é uma grande honra”, afirmou Alcely Barroso, diretora de Cidadania Corporativa da IBM Brasil.

De maneira sucinta, o objetivo final do novo projeto é criar um banco público com mapeamento e dados de biodiversidade. Se é possível resumir assim o objetivo, é impossível ser conciso nos resultados que podem sair desse banco.

 As informações podem ajudar na criação de medicamentos mais eficientes, no desenvolvimento de métodos mais eficientes de agricultura ou até contribuir com o avanço nas pesquisas de bioenergia e biocombustíveis.

 

dna-430x285

DNA: projeto da IBM com Fioruz irá desvendar a genética de microrganismos.

Imagem: Creative Commons

 

Tudo isso viria do conhecimento adquirido sobre a genética de microrganismos. “Os cientistas conhecem apenas 1% deles. Há 30 anos, nós trabalhamos com esse sequenciamento. O volume de informação, no entanto, começou a ficar tão grande que é impossível fazer isso localmente”, afirmou o pesquisador Wim Degrave, coordenador do projeto na Fiocruz.

A solução, portanto, é recorrer a um sistema de computação como o World Community Grid. A estimativa é que sem ele, o processamento das informações levaria até 40 mil anos. O projeto rodará por apenas um ano na rede da IBM.

Em 2007, a Fiocruz rodou um ensaio desse projeto na plataforma da IBM. O resultado foi ótimo. “Em três meses no Grid, nós conseguimos o equivalente a 4.300 anos de computação”, afirma Degrave.

Para participar do World Community Grid (e ajudas nas pesquisas), basta entrar no site do projeto. Lá, estão disponíveis os aplicativos para download -- para Android, Windows, Mac e Linux.

Os projetos são rotativos. No momento, além do “Desvendando Mistérios de Genomas”, estão disponíveis outros três. Um com pesquisas sobre Aids, outro para desenvolvimento de energia limpa e um terceiro para mapeamento de câncer.

 

Fonte: Victor Caputo / site exame.com
Imagem da home: site sxc.hu

 

 

Voltar à pagina inicial

Outras notíciasarrow-2