Com mais de 47 mil quilômetros percorridos, 107 viagens a 70 municípios e tendo atingido um público de 600 mil pessoas em apenas 8 anos de existência, o “Ciência Móvel – Vida e Saúde para Todos” coloca, mais uma vez, o pé na estrada. No dia 2 de julho, o projeto lançou sua temporada 2014-2015, cheio de atrações e novidades, que prometem atrair crianças e adolescentes. Uma delas é o Jogo das Vacinas, fruto da parceria entre Bio-Manguinhos, a Casa de Oswaldo Cruz e o Museu da Vida. A atividade é uma batalha coletiva para que todos os participantes sejam vacinados e fiquem protegidos contra doenças antes que o tempo se esgote.

Além do jogo, outras novidades acompanharão a equipe do projeto nas viagens pelos municípios cariocas, como apresentações circenses, esquetes teatrais, um planetário inflável e o girotech, aparelho que que simula exercícios dos astronautas da Nasa, como explicou Marcos Soares, coordenador do projeto. “ A revitalização das peças da exposição, os novos equipamentos e layout só se tornaram uma realidade possível graças à ajuda de parceiros”, destacou.

 

ciencia-movel-2015

Jogo leva informações sobre importância das vacinas

Imagem: Ascom/Bio-Manguinhos



Entre os novos parceiros do projeto, o Coletivo Nopok se propõe a evidenciar a ciência presente em atividades circenses ao explorar conceitos como equilíbrio, gravidade e propagação de som em apresentações de malabares, monociclo e chicote. Também aliada do Ciência Móvel na temporada, a Companhia Ziripitó de teatro, cuja inspiração é a Comedia Della´arte, apresenta esquetes usando esta linguagem para contribuir com o fortalecimento do teatro infantil e sua relação com a ciência.

 

teatro-ciencia-movel

Com arte e circo, Ciência Móvel ensina conceitos de física às crianças

Imagem: Ascom/Bio-Manguinhos

 

Para a vice-presidente de divulgação cientifica da Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cederj), Mônica Santos Dahmouche, a iniciativa tem importância vital ao levar a ciência a áreas que não tem acesso a museus. “Assim, popularizamos a ciência e a informação, em uma linguagem simples e acessível”, acrescentou.

Representando o diretor de Bio-Manguinhos, Artur Couto, que não pode comparecer ao evento, o vice-diretor de Produção, Antônio Barbosa relembrou como o apoio institucional de Bio ao projeto reforça a missão do Instituto. “Com o Jogo das Vacinas fazendo parte do Ciência Móvel, estamos cumprindo nosso papel de levar informações sobre a importância da imunização para crianças e adolescentes, de forma lúdica”, ressaltou.

 

diretoria-bio-ciencia-movel

O vice-diretor de Produção , Antônio Barbosa, 
explicou como Jogo das Vacinas fortalece compromisso de Bio com a sociedade

Imagem: Ascom/Bio-Manguinhos

 

O Jogo, voltado para crianças a partir de 12 anos, permite conhecer as características do universo microbiológico e entender a importância das vacinas na prevenção de doenças causadas por vírus e bactérias, seguindo o Calendário Nacional de Vacinação. O diretor da Casa de Oswaldo Cruz, Paulo Elian, destacou a importância destas ações para aproximar a ciência da sociedade. “Esta ação é parte de uma política estratégica do governo. É um sonho antigo que se concretizou e vem mostrando excelentes resultados”, comemorou.

Além dos parceiros institucionais, estiveram na cerimônia de lançamento representantes da Sanofi e IBM, além do vice-diretor de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Jorge Bermudez. Citando a mensagem que Carlos Chagas deixou escrita para Oswaldo Cruz em uma fotografia do ano de 1928, na qual o pesquisador defendia “uma arte em defesa da vida”, o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha encerrou o evento, elogiando a iniciativa e a chegada de novas atividades ao Ciencia Móvel. “A ciência feita por nós não deve ficar confinada dentro dos nossos laboratórios, pois não nasceu para ser enclausurada. Ela deve ser viva, uma prática social. Acredito na interação entre ciência e arte. Vocês estão de parabéns”, elogiou.

 

Sobre o Ciência Móvel

O projeto “Ciência Móvel – Vida e Saúde para Todos” é uma iniciativa do Museu da Vida, aprovado pela Lei Rouanet (Ministério da Cultura), e conta com as parcerias da Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cecierj) e de Bio-Manguinhos e o patrocínio da Sanofi e da IBM. Em sua trajetória de sucesso, em oito anos já alcançou público superior a 600 mil pessoas, em mais de 100 viagens a 70 municípios.

Concebido para levar às cidades da região sudeste do país uma série de módulos interativos, o museu itinerante incorpora novidades ao conjunto atual (os tradicionais módulos como o planetário inflável, o girotech, que simula exercícios dos astronautas da Nasa, a pilha humana, exposições e palestras): números circenses e esquetes teatrais.

 

O Jogo das Vacinas

O Jogo das Vacinas é fruto da parceria entre Bio-Manguinhos, unidade da Fiocruz responsável pelo desenvolvimento tecnológico e pela produção de vacinas, reativos e biofármacos, e o Museu da Vida (Casa de Oswaldo Cruz). O novo módulo é do tipo ludo, em que as crianças são as peças fundamentais. É composto por uma lona de 20 m², cartas, dado gigante, marcador de tempo e comporta quatro grupos de jogadores.

 

 

Jornalista: Isabela Pimentel

 

altalt Voltar à pagina inicial

Outras notíciasaltarrow-2