A Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde anunciou as ações definidas para a realização da Copa do Mundo no Brasil. Em edição especial de seu Boletim Epidemiológico, intitulado Preparação e resposta da vigilância em saúde para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, o órgão elenca uma série de atividades concernentes ao evento. O documento pode ser acessado na íntegra na web.

O tema tem recebido cada vez mais atenção dos veículos de comunicação à medida que o evento se aproxima. Contribuem para sua aparição no debate público a emergência da poliomielite como enfermidade que merece atenção global, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS); e o permanente registro de novos casos de sarampo – principalmente nos EUA e em países europeus.

Medidas como um plano de contingência ou a necessidade de apresentação de cadernetas de vacinação por parte de turistas estrangeiros foi descartada, por ser considerada desnecessária. Segundo a assessoria da SVS, o Brasil recebe milhões de visitantes a cada ano, sem que ocorram surtos dessas doenças entre a população. Em seu site, o Ministério do Turismo informa que em 2012 (dados mais recentes) houve mais de 9 milhões de desembarques oriundos de voos estrangeiros no país.

 

centrodecontroledacopa 134

Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN) irá monitorar qualquer adversidade.

Imagem: Iano Andrade - Portal Copa 2014

 

Ações localizadas

De acordo com a SVS, o Ministério da Saúde reforça as ações de prevenção de doenças transmissíveis em todas as 12 sedes da Copa do Mundo e mais recentemente nas cidades que serão centros de treinamento das seleções desde 2011.

“Temos a intensificação da cobertura vacinal contra sarampo entre os profissionais que atuam no contato direto com os torcedores, turistas e profissionais relacionados ao evento como taxistas, voluntários, profissionais da rede hoteleira entre outros. Além disso, estamos realizando a vigilância internacional de doenças em parceria com a Organização Mundial da Saúde e organizações internacionais”, afirma a assessoria do órgão.

A vacinação contra a febre amarela (atenuada) foi recomendada para os visitantes que viajarem para Áreas Com Recomendação de Vacina (ACRV). A vacina está disponível em qualquer unidade básica de saúde (Postos de Saúde do SUS).

Houve ainda repasse de recursos para campanhas de prevenção. “Em 2013, destinou adicional de R$ 363 milhões para o aprimoramento das atividades de prevenção e controle da dengue dos municípios brasileiros, dos quais R$ 53,6 milhões foram repassados para as cidades-sede”, ressalta o órgão.

Desde maio de 2013, antes da Copa das Confederações, o Ministério da Saúde mantém no seu portal página sobre saúde do viajante, “estratégia implantada e que contém dicas práticas e informações essenciais que ajudam os turistas nacionais e internacionais a proteger a sua saúde durante a viagem”. As informações poderão ser acessadas no hotsite Saude do Viajante nos idiomas português, inglês, espanhol e francês.

O Ministério da Saúde também lançou o aplicativo Saúde na Copa, disponível gratuitamente para download nos idiomas português, inglês e espanhol. Por meio do aplicativo, o ministério poderá mapear possíveis surtos ou mudança no comportamento epidemiológico da população. A interação com o torcedor é um complemento para detectar tendências de mudança na saúde dos usuários, que já é feito pelas equipes de vigilância epidemiológica.

 

Jornalista: Paulo Schueler

Imagem da Capa: Ministério da Saúde
 

altalt Voltar à pagina inicial

Outras notíciasaltarrow-2