EstudosClinicosBelém receberá os estudos clínicos em pacientes humanos da vacina tríplice viral, de imunização contra sarampo, caxumba e rubéola. Os testes foram garantidos a partir de uma parceria entre o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/ Fiocruz), a Universidade do Estado do Pará (Uepa), o Instituto Evandro Chagas (IEC) e a Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma).

A capital paraense foi escolhida para receber os testes pela infraestrutura e localização estratégica. A pesquisa clínica é o termo que define os estudos acerca de um determinado medicamento ou vacina para avaliar seus efeitos, eficácia e segurança para uso em pacientes. Desde 2006, Bio-Manguinhos já desenvolveu a ação em nove Estados, além do Distrito Federal, para avaliar tanto as vacinas quanto os biofármacos fabricados em sua planta industrial, localizada no Rio de Janeiro.

Em Belém, a ação faz parte da etapa de conclusão de Transferência de Tecnologia da vacina, um momento estratégico na promoção da saúde pública e garantia de segurança no fornecimento desse insumo ao Programa Nacional de Imunizações. “Essa ação não seria possível sem a participação da sociedade paraense, através dos parceiros e da população com a qual faremos o estudo. Ressalto ainda que nossos laços não se encerram no estudo”, ressaltou o diretor de Bio-Manguinhos, Artur Couto.

A coordenadora da Assessoria Clínica de Bio-Manguinhos, Maria de Lourdes Sousa Maia, informa que os pacientes serão selecionados nos postos de saúde da capital e que já estão preparados quatro unidades de coleta, sendo três da Sesma e um da Uepa. O centro coordenador da atividade está instalado no IEC. “O estudo será feito durante meses e envolve dezenas de profissionais, além de centenas de voluntários. Trata-se de um avanço na imunização de todos os brasileiros, que conta com a efetiva participação da população de Belém”, afirmou.

  

belem

Belém receberá os estudos clínicos em pacientes humanos da vacina tríplice

viral, de imunização contra sarampo, caxumba e rubéola.

 

Para o reitor da Uepa, Juarez Quaresma, "projetos como este abrem um leque muito grande para que a Uepa possa colaborar com centros de pesquisa de excelência como a Fiocruz para o desenvolvimento de produtos para a saúde. Além disso, contribui para o desenvolvimento de pesquisas na Instituição", destacou.

Na última semana, Quaresma recebeu uma visita do diretor Artur Couto, acompanhado de outros dirigentes da Bio-Manguinhos. Durante o encontro, ficou acertada a ida do reitor da Uepa ao Rio de Janeiro para visitar as instalações da Fiocruz e a criação de um grupo formado por pesquisadores de diversas instituições para aprofundar os trabalhos sobre estudos clínicos.

Vinculada ao Ministério da Saúde, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é a mais destacada instituição de ciência & tecnologia em saúde da América Latina. Além de estar presente em dez Estados, com doze mil colaboradores, tem escritório na África. (Com Assessoria de Imprensa da Bio-Manguinhos/ Fiocruz e Ascom Uepa).

 

Fonte: Ize Sena / Universidade do Estado do Pará
Imagem: Agência Pará de Notícias
Divulgado em 26/05/2014

 

altalt Voltar à pagina inicial

Outras notíciasaltarrow-2