A parceria entre Bio-Manguinhos e a Fundação Bill e Melinda Gates para a produção da vacina dupla viral (sarampo e rubéola), firmada em outubro do ano passado concorreu ao Prêmio de Excelência da Indústria de vacinas (Vaccine Industry Excellence Awards, em inglês), da organização Vaccination, na categoria melhor parceria.

Na mesma categoria, estavam grandes empresas do mercado biofarmacêutico como GSK e Pfizer. O presidente do Conselho Político e Estratégico de Bio-Manguinhos (CPE) destaca, com orgulho, que foi a primeira vez que Bio concorreu ao este prêmio.

“Ficamos na categoria que reuniu as cinco melhores parcerias globais. Isso é o resultado da visibilidade internacional que teve nosso acordo com a Fundação Bill e Melinda Gates e do papel cada vez mais estratégico que desempenhamos no fornecimento de vacinas para a Aliança Global pelas Vacinas e Imunização (GAVI, na sigla em inglês)”, destaca.

 

worldvaccine2014430x285

Bio concorreu a prêmio pela parceria com Fundação Gates e visibilidade internacional do acordo

 

Pelo acordo, o Instituto receberá US$ 1,15 milhão para a primeira fase de estudos clínicos visando o desenvolvimento de vacina dupla viral. A quantia acelera a formulação da vacina e os estágios iniciais de desenvolvimento clínico, previstos para começar em 2014. O produto deverá chegar ao mercado internacional a partir de 2017.

Bio-Manguinhos se compromete a produzir o mínimo de 30 milhões de doses da dupla viral por ano para serem usadas nas ações da GAVI, nos países em desenvolvimento, especialmente no continente africano. “Nossa atuação está indo para além das fronteiras nacionais”, conclui o presidente do CPE.

O resultado do Prêmio foi divulgado no Congresso Mundial de Vacinas.

 


Jornalista: Paulo Schueler 

  

altalt Voltar à pagina inicial

Outras notíciasaltarrow-2