Durante todo o ano, o Programa Bio Livre do Tabaco contribui para que os fumantes de Bio-Manguinhos e de toda a Fiocruz consigam largar o tabagismo. A Seção de Medicina do Trabalho do Departamento de Recursos Humanos, responsável pelo programa, fez um balanço de 2013.

O acompanhamento do programa dura até um ano, começando com uma entrevista individual, seguida de quatro sessões em grupo, e, após a pessoa parar de fumar, sessões de manutenção. São atendidas dez pessoas por bimestre. O programa atendeu 40 pessoas em 2013, sendo 16 de Bio e 24 de outras unidades. Dentro deste universo, 32 pararam de fumar, dois não conseguiram e seis pararam mas retornaram posteriormente. O grupo foi composto metade por homens e outra metade por mulheres, na faixa etária de 30 a 40 anos.

 

antitabagismo430x285

As reuniões ocorrem toda sexta-feira, na sala de reuniões da Coprest - Imagem: Ascom-Bio-Manguinhos

 

O programa

Bio Livre do Tabaco existe desde 2008. O psicólogo Leonardo Quintanilha aponta que os principais problemas que os fumantes enfrentam para parar de fumar são ansiedade, ociosidade, estresse, trabalho, quererem se manter magros, além de verem o cigarro como uma companhia. Há também a dependência química em si. “Enfatizamos que nosso projeto tem parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, que nos fornece gratuitamente material de conscientização e medicamentos que ajudam na redução da dependência”, completa o psicólogo.

O material é composto por cartilhas, folders e pins para os que param de fumar. Entre os medicamentos, estão adesivos, que são utilizados até a vontade de fumar cessar por completo. "Todos os participantes utilizam os adesivos pois não conseguem parar sozinhos. O acompanhamento psicológico neste momento é muito importante. É comum haver recaídas", ressalta Quintanilha.

 

Jornalista: Gabriella Ponte

  

altalt Voltar à pagina inicial

Outras notíciasaltarrow-2