O especialista apresentou um panorama da ocorrência de malária no mundo, relacionando a redução do número de casos da doença à intensificação das ações de controle. Apesar disso, em áreas endêmicas, como a África subsaariana, os números ainda assustam.

Para mudar este cenário Pluschke acredita que o desenvolvimento de uma vacina contra a enfermidade seja uma estratégia complementar de prevenção. “Atualmente, não há nenhuma vacina licenciada contra malária, mas estamos estudando o desenvolvimento da vacina contra o plasmódio falciparum e vivax”, destacou.

Dentre as principais vantagens do projeto de desenvolvimento da vacina baseada no desenho de peptídeos sintéticos está seu caráter multivalente, relação custo-benefício e a atividade de transmissão de bloqueio.


Sobre o palestrante

Gerd Pluschke é professor, PhD, chefe do Departamento Parasitologia Médica e Biologia da Infecção, Imunologia Molecular com atividades de pesquisa em imunologia, biologia da infecção e desenho de vacinas.

Possui mestrado em Bioquímica pela Universidade de Tübingen (Alemanha), pós-doutorado pelo Instituto Max –Planck, Molecular Genetics (Alemanha) e atua como membro científico do Instituto de Imunologia de Basel (Suíça). Também é pesquisador da Universidade de Freiburg (Alemanha), líder de projeto e professor de Imunologia da Universidade de Basel (Suíça).

 

Jornalista: Isabela Pimentel 

  

altalt Voltar à pagina inicial

Outras notíciasaltarrow-2