O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), esteve na Fundação no último dia 20, quando aproveitou para visitar algumas instalações de Bio-Manguinhos e conhecer mais detalhadamente o projeto da Fiocruz em Eusébio, município da Região Metropolitana de Fortaleza. À frente de uma comitiva que incluiu secretários estaduais, reitores, políticos e empresários, Gomes disse que com a inauguração da nova unidade o estado se tornará um polo de saúde em áreas inovadoras da ciência e tecnologia e que este “é o mais importante projeto estruturante para o Ceará e o principal para as próximas décadas”.

 

cid-gomes Governador e sua comitiva visitaram o Museu de Patologia do IOC/Fiocruz (Imagem: Ascom/Bio-Manguinhos)

 

A Fiocruz Ceará também abrigará um núcleo de Bio-Manguinhos, naquela que será a primeira fábrica de vacinas da Fiocruz fora do Rio de Janeiro. A futura unidade da Fundação no Ceará será construída em um terreno de 10 hectares, cedido pelo governo do estado e situado no Polo Tecnológico e Industrial da Saúde (Pits), em Eusébio. Segundo o governador, o terreno de Bio-Manguinhos já foi decretado como de utilidade pública e até o final de novembro será doado oficialmente ao Instituto.  

Após ser recebido no Castelo da Fiocruz, o governador visitou as obras do Centro Integrado de Protótipos, Biofármacos e Reativos para Diagnóstico (CIPBR) e conheceu o Departamento de Processamento Final de Bio. Em seguida, na Residência Oficial, assistiu a uma explanação do presidente da Fundação, Paulo Gadelha, sobre as frentes de atuação da instituição. O diretor de Bio, Artur Couto, deu uma visão geral do Instituto e a gerente do projeto do futuro campus de Bio no Ceará, Beatriz Fialho, apresentou detalhes da planta industrial que será instalada no local. A fábrica terá cerca de 84 mil m2 de área construída e, além da área industrial, terá um prédio para desenvolvimento tecnológico de novos produtos. O biofármaco alfataliglicerase será um dos medicamentos produzidos lá, para o tratamento da doença de Gaucher.  

 

visita-cid-gomes-480x285Cid Gomes, entre Antônio Barbosa e Artur Couto, em visita ao CIPBR (Imagem: Ascom/Bio-Manguinhos)

 

O local onde será implantado o Polo Industrial e Tecnológico da Saúde tem uma área total de 55 hectares e terá três âncoras: a Fiocruz, o CTI Renato Archer (vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia) e a Isofarma. A área institucional tem cerca de 25 hectares e as áreas restantes serão ocupadas por novos empreendimentos. “Não tenho dúvida que esse projeto dará certo. A presença da Fiocruz agrega credibilidade e segurança. Esse é um projeto exitoso e muito brevemente o Ceará será um polo de saúde em áreas inovadoras para o Brasil”, afirmou Gomes. 

 

Jornalista: Rodrigo Pereira

 

altalt Voltar à pagina inicial

Outras notíciasaltarrow-2