meio-ambiente-100x100Bio-Manguinhos, por ser uma unidade de produção de vacinas para a saúde pública, visa garantir o bem estar e a saúde dos colaboradores, além de se preocupar com questões ambientais. A Assessoria de Segurança do Trabalho e Meio Ambiente (AESTM) está com três ações distintas que afetarão positivamente no dia a dia dos colaboradores do Instituto: atividades de educação ambiental, projeto vetores e controle de lançamento de efluentes.

A unidade percebe a importância de espaços de discussão e realização de atividades para falar sobre meio ambiente. A AESTM vem buscando parceria com empresas para capacitação ambiental de líderes e multiplicadores para áreas de produção, desenvolvimento de ações educativas como palestras e oficinas, além do desenvolvimento de instrumentos, como campanhas, folders e cartilhas, visando conscientização e melhoria contínua no Instituto. 

O projeto vetores consta no controle integrado nas áreas internas e externas de Bio, tornando-se um fator fundamental para manter as boas práticas na produção, na qualidade do produto final e seus insumos. Os colaboradores já podem evidenciar este trabalho com a instalação de 150 armadilhas para roedores, numeradas e mapeadas para o monitoramento e manutenção contínuos. Também é realizada a dedetização de bueiros, ralos, entre outros. Este controle proporciona melhor custo-benefício para a preservação das matérias-primas.
 

A dedetização faz parte do controle de vetores || Imagem: Ascom de Bio-Manguinhos

A dedetização faz parte do controle de vetores. Imagem: Ascom/Bio-Manguinhos


 
A AESTM, em parceria com a Seção de Operação (SEOPE), realiza a gestão dos efluentes gerados no Centro de Tecnologia em Vacinas (CTV), onde são tratados cerca de 1500 m³ por mês. A AESTM comunica que é importante que todos os colaboradores estejam atentos na forma de descarte de produtos químicos. O seu lançamento diretamente na rede primária de esgotos – como pias, tanques, ralos contidos nos laboratórios e áreas de lavagem – pode gerar desequilíbrio no sistema de tratamento de efluentes. 

Este controle será ampliado através da nova Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), que atenderá a demanda do Centro Integrado de Protótipos, Biofármacos e Reativos (CIPBR). Esta nova ETE vem sendo desenvolvida em conjunto pela AESTM e Assessoria de Planejamento de Projetos e Obras (ASPRO). 

 

Jornalista: Gabriella Ponte

 

altalt Voltar à pagina inicial

Outras notíciasaltarrow-2