A Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás) instituiu um comitê técnico-científico para atuar como órgão consultivo da Diretoria Executiva da estatal, no que diz respeito a atividades científicas, tecnológicas e a modelos de gestão inovadores. O grupo será formado por membros honoríficos, não remunerados, vinculados a instituições acadêmicas ou de classe, que ocuparão o cargo por um ano. O objetivo é incorporar um novo olhar às discussões de questões estratégicas visando à adoção das melhores práticas de governança corporativa. A primeira reunião aconteceu dia 6 de junho, na sede da Hemobrás, em Brasília.

 

hemobras-430x285

Novo comitê técnico-científico é instituído pela estatal - Imagem: Hemobrás

 

Fazem parte do comitê técnico-científico, o diretor geral do Hospital do Coração de São Paulo, o cardiologista e ex-ministro da Saúde, Adib Jatene; o presidente do Conselho Político e Estratégico do Instituto de Tecnologia em Imunológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), Akira Homma; o secretário de Saúde de Campinas (SP) e presidente da Associação Brasileira de Hemoterapia e Hematologia (ABHH), Cármino Antônio de Souza; e o professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e médico do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (PE), Luiz Gonzaga dos Santos, fundador do primeiro hemocentro do Brasil, o Hemocentro de Pernambuco.

“A construção da fábrica e a complexidade dos processos de transferência de tecnologia exigem da Hemobrás a constante busca de aperfeiçoamento dos instrumentos de gestão. E é nesse contexto que estamos instalando o comitê”, diz o presidente da Hemobrás, Romulo Maciel Filho, salientando que, desta forma, integrará aos debates da estatal um grupo formado por interlocutores envolvidos com o desenvolvimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

Entre as atribuições do comitê, instituído no Regimento Interno da estatal, estão apreciar e opinar sobre programas e projetos de sua área de conhecimento; apresentar propostas técnicas relativas a atividades inerentes à produção do conhecimento científico ou à introdução de práticas gerenciais; oferecer alternativas de solução aos problemas identificados em áreas de competência do comitê; e cooperar com a Hemobrás na divulgação dos seus objetivos e programas, bem como na avaliação e disseminação dos resultados obtidos.

 

Fonte: Hemobrás

 

altalt Voltar à pagina inicial

Outras notíciasaltarrow-2