Ao longo da sua exposição em Bio-Manguinhos, no dia 4 de setembro, Borgatti destacou como é possível pensar as rotinas de trabalho de forma diferente, com base em indicadores operacionais para melhorar os fluxos de entrega e ter mais aproveitamento. Para ele, um indicador ruim é uma excelente oportunidade de trabalho e melhora. É preciso saber medir, ir a campo, observar o que está acontecendo e fazer uma análise crítica. Não há indicador de uma área apenas, cada área contribui para o resultado final, a entrega de produtos. “Deve-se parar e refletir sobre os processos e novas maneiras para resolver problemas, além de ter práticas melhores e parâmetros claros para situações de risco. Atuar de maneira diferente traz ganhos para a empresa”, aconselhou.

Durante o debate, conduzido pelo vice-diretor de Produção, Antonio Barbosa, foi discutida a aplicabilidade de técnicas voltadas para o ganho na parte de serviços, a aferição de resultados, o fluxo contínuo, os desafios operacionais na produção, a capacidade e demanda, a implantação de projetos, as barreiras culturais, a organização e elos na cadeia de Bio-Manguinhos. Houve ênfase ainda na necessidade de mundança cultural na unidade.

Este foi o primeiro encontro do Ciclo de Seminários de Bio-Manguinhos com temas estratégicos relacionados a processos de gestão para o novo contexto. O objetivo da iniciativa é subsidiar o processo de mudança por meio da criação de um espaço de reflexão e de amplo debate sobre as melhores práticas de outras organizações, trazendo experiências inovadoras e semelhantes, além de especialistas em segmentos de interesse institucional.

Os desdobramentos dos seminários podem incluir a realização de outras palestras sobre o mesmo tema, realização de benchmarking, discussões sobre os assuntos nas áreas, entre outros, dependo dos objetivos específicos e resultados propostos pelos encontros.

 

 

Jornalista: Elisandra Galvão e Lívia Maldonado.

 

Voltar à pagina inicial

Outras notíciasarrow-2