“O objetivo do encontro foi abordar a questão da gestão de pessoas de maneira mais ampla”, esclareceu, na abertura, o mediador Arlindo Fábio, superintendente do Canal Saúde. A dinâmica consistiu em o diretor de Recursos Humanos da Fiocruz, Juliano Lima, fazer uma apresentação e o ex-presidente da Asfoc-SN comentar pontos relevantes. Em seguida, o debate foi estabelecido com a plateia, que contou com a presença do diretor do Instituto Carlos Chagas, Mario Moreira; do diretor de Farmanguinhos, Hayne Felipe da Silva; dos vice-presidentes de Gestão e Desenvolvimento Institucional e Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde, Pedro Barbosa e Valcler Rangel; do presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, e do diretor de Bio-Manguinhos, Artur Couto.

2-seminario-esnp-ci

Juliano colocou que, no cenário com uma subsidiária, não haverá alteração para os RJU que serão cedidos, há flexibilidade para a realização de concursos públicos para ingresso pelo regime CLT e o plano de carreira para a subsidiária será aprovado pela Fiocruz. Ele lembrou ainda que há 57 empresas privadas administrando parte da força de trabalho na instituição. “Em 20 anos a Fiocruz fez apenas cinco concursos. Temos uma multiplicidade de vínculos: 4.780 RJU, 4.792 prestadores de serviços diretos, 2.336 terceirizados e 233 projetos sociais”. Ele destacou que concursos realizados pela subsidiária contribuirão para diminuir a terceirização na Fiocruz.

Ao comentar as questões apontadas por Juliano, Paulo Ribeiro defendeu que a área de recursos humanos é a que será menos impactada na prática com a criação da subsidiária. “A discussão não pode ser desvinculada da economia e política”. Ele afirmou ainda que é preciso considerar a realidade atual do Estado. “É o momento de fortalecer o nosso processo democrático, participativo, direto”.

O debate contabilizou 747 acessos dos internautas durante a transmissão ao vivo. Assista os vídeos disponibilizados pelo Canal Saúde: parte 1 (apresentação de Juliano, comentários de Paulo Ribeiro e início do debate) e parte 2 (continuação do debate).

 

Jornalista: Elisandra Galvão

 

Voltar à pagina inicial

Outras notíciasarrow-2