"Durante o segundo semestre de 2011 foram apreciados o Documento de Referência e o de Teses, ambos disponíveis a partir de dezembro no site do Congresso Interno", informa o vice-presidente de Gestão e Desenvolvimento Institucional e coordenador da Comissão Organizadora do Congresso, Pedro Barbosa. Ele esclarece que o primeiro documento destaca a organização histórica da Fiocruz até os dias atuais, incluindo análises acerca de questões técnicas legais sobre diversas dimensões da gestão da Fundação. Este documento pode ser assumido como referência, dado a abrangência dos temas apresentados. Enquanto o segundo é mais específico e pragmático porque apresenta as teses que deverão ser apreciadas no processo congressual e na Plenária final, após contribuições do conjunto das unidades.


Pedro Barbosa, vice-presidente de Gestão e Desenvolvimento Institucional da Fiocruz.

Documentos para discussão estão disponíveis no site do VI Congresso Interno

 

Para Barbosa, há duas grandes dimensões nos documentos, a melhoria contínua da gestão e do seu modelo na instituição, e a mudança da natureza jurídica das áreas de produção. "O momento é de incentivo à discussão sobre o documento de referência em todas as unidades, que devem promover debates internos", incentiva. O prazo para as unidades mandarem contribuições é até 30 de março. Os colaboradores de Bio devem enviar suas sugestões para Secretaria Executiva do Instituto que as encaminhará à Comissão Organizadora.

Nos próximos meses haverá três seminários preparatórios. "O primeiro encontro, agendado para 6 de março, contará com a participação do presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, da secretária executiva do Ministério da Saúde, Márcia Amaral, e de representante do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão", adianta Barbosa. "Em abril teremos mais seminários para formatação geral e específica da Plenária. Em breve, será publicado também o novo guia de perguntas e respostas que ajudará a esclarecer questões e dúvidas".

Ele lembra que a Fundação viveu diversos modelos jurídicos ajustados a normativa constitucional de cada momento. "O debate agora é sobre o futuro institucional e todos devem compreender a questão central do reconhecimento da Fiocruz no cenário nacional e internacional. O que propomos é a atualização do modelo vigente para assegurar o continuado papel da instituição na garantia do acesso à saúde pública e no desenvolvimento do SUS".

 

Jornalista: Elisandra Galvão

 

Voltar à pagina inicial

Outras notíciasarrow-2