O pesquisador de doenças infecciosas e parasitárias do Departamento de Ciências Médicas da Uerj, Márcio Boia, ressalta que a prevenção antes do verão é fundamental. “O cuidado contra a dengue deve ser uma questão cultural, do dia a dia das pessoas”. E a mobilização da população deve ir além do cuidado com o próprio quintal. Um levantamento da Secretaria Estadual de Saúde do Rio mostrou que 28,7% dos potenciais criadouros estão em obras, borracheiros, calhas, lajes, ralos, sanitários sem uso, piscinas não tratadas e cemitérios.

Para o Dr. Ricardo Galler, o ideal seria que os agentes de saúde visitassem as residências regularmente

Para o pesquisador Ricardo Galler, o ideal seria que
os agentes de saúde visitassem as residências regularmente.

Uma outra forma de prevenção também vem sendo desenvolvida: a vacina contra a dengue. Bio trabalha em uma fórmula que imunize contra os quatro sorotipos. Atualmente, a pesquisa está em fase de testes pré-clínicos, ou seja, ainda não pode ser testada em humanos, explica o coordenador do estudo, Ricardo Galler, da Vice-diretoria de Desenvolvimento Tecnológico de Bio-Manguinhos: “A gente tem prova de que a vacina tetravalente funciona em macacos, pois já foram feitos os testes com os animais. Os macacos foram testados porque são os animais que mais refletem a infecção em humanos, embora não manifestem as formas graves da doença, mas permitam dosar a multiplicação do vírus”.

Bio-Manguinhos vem investindo no desenvolvimento de vacinas para dengue por meio de duas abordagens diferentes: uma vacina recombinante tetravalente e uma vacina inativada tetravalente. Ambos os projetos estão em fase pré-clínica, e espera-se que a fase de estudos clínicos da vacina inativada tetravalente, em parceria com a GlaxoSmithKline, inicie em 2012 e a vacina recombinante, em parceria com o Instituto Oswaldo Cruz, em 2013.


Jornalista: Rodrigo Pereira

 

Voltar à pagina inicial

Outras notíciasarrow-2