O Ministério da Saúde se reuniu virtualmente, na última quinta-feira (10) com coordenadores dos Programas Estaduais de Imunizações das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, além do Conasems e Cosems, para apresentar e discutir os detalhes do plano de vacinação contra a COVID-19. Além de uma prestação do Governo Federal, o encontro foi uma oportunidade de alinhamento, com espaço para esclarecer dúvidas e receber sugestões.

Segundo a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fantinato, a interlocução com estados e municípios é fundamental neste momento. Segundo ela, o esforço tripartite é crucial para o sucesso do plano de vacinação. “Nós precisamos da gestão local, do trabalhador lá da ponta para garantir que todo o processo de vacinação funcione da melhor forma possível. É importante estarmos em constante comunicação com os gestores”, avaliou.

Para que as milhões de doses já garantidas por meio dos acordos internacionais e nacionais cheguem aos brasileiros, o Ministério da Saúde conta com mais de 40 anos de expertise do PNI. Segundo Francieli, a experiência do Sistema Único de Saúde (SUS) faz toda a diferença. “Temos conhecimento acumulado desde 1980 no maior programa nacional de imunização do mundo. Ainda temos muito a aprender, mas essa experiência nos dará mais agilidade e segurança no processo de vacinação da população”, destacou.

Investimentos

O Ministério da Saúde está investindo aproximadamente R$ 62,2 milhões para fortalecer o PNI no enfrentamento da COVID-19. Os recursos foram instituídos por meio da Portaria nº 3.248, publicada na segunda-feira passada (7) no Diário Oficial da União. A medida reforça a qualidade da estrutura da Rede de Frio (que organiza os processos de recebimento, armazenamento, distribuição e transporte dos imunobiológicos do PNI) e da Vigilância Sentinela de Síndrome Gripal, proporcionando condições para o aprimoramento da detecção, análise e avaliação de síndromes respiratórias aguda, incluindo a COVID-19, visando à prevenção e controle da influenza e outros vírus respiratórios para respostas qualificadas e oportunas à emergência de saúde pública.

Além dos investimentos, o Ministério da Saúde viabilizou incentivo financeiro de custeio por meio da Portaria n°2.782 de 14 outubro de 2020, no valor de R$115.320 milhões para o fortalecimento dos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais e das Unidades Sentinelas de vigilância de Síndrome Gripal.

Insumos e transporte
Para garantir que as vacinas cheguem aos quatro cantos do país, o Ministério da Saúde e a Azul Linhas Aéreas anunciaram, na última quarta-feira (9), uma parceria para distribuição gratuita de vacinas contra a COVID-19 para todo o país. A Azul disponibilizará sua malha de voos domésticos para 113 cidades brasileiras para transporte gratuito das vacinas para COVID-19.

Já para auxiliar estados e municípios nas estratégias de vacinação contra a COVID-19, o Ministério da Saúde está adquirindo mais de 300 milhões de seringas e agulhas.

 

Acesse o especial sobre coronavírus do site de Bio-Manguinhos

 

Fonte: Henrique Jasper, do Ministério da Saúde. Imagem: Federcap, Freepik.