Entre 29 de dezembro de 2019 e 24 de outubro de 2020 o Brasil registrou 8.261 casos de sarampo em 21 unidades da federação. Dessas, 17 interromperam a cadeia de transmissão do vírus, e quatro mantém o surto ativo: Pará, Rio de Janeiro, São Paulo e Amapá.

Os dados foram divulgados no Boletim Epidemiológico 45 do Ministério da Saúde e compreendem as semanas epidemiológicas 01 a 43. Outros 419 casos permaneciam em investigação.
Pará, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Amapá concentram o maior número de casos confirmados de sarampo, com 7.984 casos - 96,7% do total. Os sete óbitos por sarampo ocorreram nos estados do Pará (5), Rio de Janeiro (1) e São Paulo (1).

Vacinação

A vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) está disponível na rotina dos serviços de saúde, conforme indicações do Calendário Nacional de Vacinação do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Além das crianças, que podem receber a vacina em ação de rotina, houve estratégia de vacinação indiscriminada para pessoas na faixa etária de 20 a 49 anos, iniciada em março deste ano – cujo encerramento ocorreu em 30 de outubro.

Encontra-se em processo de revisão o Plano Nacional para interromper a circulação do vírus do sarampo e eliminar a doença, o qual propõe resposta rápida, oportuna e articulada entre as diversas áreas envolvidas com o enfrentamento do sarampo.

 

Jornalista: Paulo Schueler. Imagem: Kjpargeter, Freepik.