A vice-diretora de Gestão e Mercado de Bio-Manguinhos, Priscila Ferraz, foi convidada pela Coppe/UFRJ, o Programa de Engenharia de Produção da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PEP/UFRJ) e a Unisinos para falar sobre “Engenharia de produção e o enfrentamento da COVID-19: produção de vacinas em Bio-Manguinhos/Fiocruz”, em webinar realizado em 05 de outubro.

Priscila Ferraz possui doutorado e mestrado em Engenharia de Produção pela Coppe/UFRJ, e graduação no mesmo curso também pela UFRJ, e abordou como Bio-Manguinhos se organizou, interna e externamente, para dar as respostas e o apoio necessário ao Ministério da Saúde no enfrentamento da pandemia da COVID-19.

Isso demandou da instituição uma revisão do planejamento, das prioridades (projetos e iniciativas), novas lógicas de trabalho e também novas estruturas de gestão. Para Priscila, junto com a pandemia, veio também um dos maiores desafios da história do Instituto: internalizar a tecnologia de produção da vacina para COVID-19, a partir da parceria com a empresa AstraZeneca, de modo que o Brasil tenha autonomia na sua fabricação.

Em sua apresentação, ela abordou também a aplicação dos conhecimentos da Engenharia de Produção para alavancar iniciativas nas áreas de diagnóstico (testes moleculares e rápidos), apoio aos laboratórios centrais (Lacens) no processamento das amostras, tratamento (participação de Bio-Manguinhos no estudo clínico Solidarity, da OMS, por meio de apoio logístico), e prevenção (além da vacina de Oxford, outras duas vacinas de desenvolvimento próprio), citando o trabalho coordenado entre prospecção, parcerias e gestão. “A pandemia trouxe uma série de aprendizados, e deixará um legado institucional. Está sendo um desafio sem precedentes”, afirmou Priscila.

A íntegra do webinar está disponível.

 

Acesse o especial sobre coronavírus do site de Bio-Manguinhos

 

Jornalista: Rodrigo Pereira. Imagem: Stories/Freepik.