Matéria publicada pela BBC Brasil, a partir de dados obtidos com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e estudos de outras instituições e pesquisadores, indica que a vacinação evita no mínimo 4 mortes por minuto no mundo, além de gerar uma economia equivalente a R$ 250 milhões por dia.

Anualmente, as vacinas evitam de 2 (base para a média mínima de 4 por minuto) a 3 milhões de mortes. Segundo a OMS, outras 1,5 milhão de vidas poderiam ser salvas a cada 12 meses caso a aplicação de vacinas fosse ampliada.

A BBC informa que o cálculo da OMS pode ser considerado conservador, na avaliação da Universidade de Oxford. Segundo o texto, que tomou por base os casos da varíola até sua erradicação, “é impossível saber exatamente quantas pessoas morreriam hoje de varíola caso os cientistas não tivessem desenvolvido uma vacina. Estimativas razoáveis apontam cerca de 5 milhões de vidas por ano, o que significa que, de 1980 a 2018, foram salvas entre 150 milhões e 200 milhões de vidas”. Enfim, cerca de 5 milhões de mortes evitadas por ano.

Ainda de acordo com a Universidade de Oxford, o número de crianças que morreram por doenças para as quais já existiam vacinas caiu de 5,5 milhões em 1990 para 1,8 milhão em 2017.

O impacto das vacinas também pode ser calculado sob o ponto de vista econômico. Em 2017, foi publicado artigo de 21 pesquisadores calculando as perdas totais causadas por 10 doenças para as quais já existem vacinas em 73 países apoiados pela Aliança Global para Vacinação e Imunização (Gavi, na sigla em inglês).

O artigo traz cálculos para o período entre 2001 e 2020 a partir dos custos de internação, uso de medicamentos, de transporte, perda de produtividade, dentre outros itens. A economia total estimada ficou em US$ 350 bilhões, cerca de US$ 45 milhões por dia, equivalentes a R$ 250 milhões.

 

Jornalista: Paulo Schueler, com informações da BBC Brasil. Imagem: Freepik