covid 19 projeto inovador favelasA Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o Conselho Comunitário de Manguinhos, Redes da Maré, Dados do Bem, SAS Brasil e União Rio, lançou projeto inovador que viabiliza o atendimento integral em saúde nas favelas e vai contribuir para o enfrentamento da pandemia de COVID-19 na Maré e em Manguinhos (RJ).
O Conexão Saúde: de olho na COVID, nome que foi dado à iniciativa, conta com o apoio da gestão municipal, por meio das unidades de saúde da Área Programática local, e inclui desde a orientação e o apoio à população local, até a telemedicina, testagem molecular, rastreamento de contactantes e produção de mapas de risco dentro das comunidades.

Confira imagens, vídeos e outros materiais sobre a iniciativa.

Segundo os especialistas envolvidos, essas ações, implementadas de forma estruturada, constituem uma proposta de vigilância ativa que poderia ser considerada um modelo para o enfrentamento da pandemia em favelas e dos territórios populares. “A partir do envolvimento de diversos parceiros, estamos conseguindo integrar a atenção básica, de maneira sistêmica, ao enfrentamento da pandemia na região, oferecendo uma cadeia completa de atendimento, desde a possibilidade de um diagnóstico precoce e acompanhamento clínico, até a testagem molecular e o rastreamento de contactantes”, explica Valcler Rangel, coordenador do projeto pela Fiocruz.

De acordo com Rangel, uma segunda etapa do projeto prevê que ele possa ser replicado em outras favelas e periferias como um modelo de intervenção para emergências em saúde pública já testado em nível local, sendo uma contribuição complementar ao que já vem sendo feito pelos poderes públicos, com o objetivo de atingir a integralidade e equidade em saúde e assistência social, em sintonia com os princípios estruturantes do Sistema Único de Saúde (SUS).

A expectativa é que a iniciativa possa deixar um legado nos territórios onde seja implementada, com bases técnicas para o desenvolvimento de ações de Vigilância Ativa em Saúde, a construção de expertise para estratégias de distanciamento social em favelas, consolidação de modelos de comunicação voltado para emergências em saúde e ações de teleatendimento em psicologia e medicina adequado às condições de populações vulnerabilizadas.

A articulação de todos os parceiros envolvidos foi uma ação do União Rio, responsável por integrar esforços e expertises para a viabilidade do projeto: SAS Brasil, com a experiência de acompanhamento por telemedicina; Dados do Bem, com um aplicativo que permite a avaliação de sinais clínicos e epidemiológicos para testagem molecular, além de mapeamento de distribuição do vírus; Fiocruz, que coloca à disposição sua capacidade de produção e processamento de testes; e a Redes da Maré e o Conselho Comunitários de Manguinhos, responsáveis por toda a mobilização local.

Além do processamento das amostras, a Fiocruz atuará na coordenação do projeto e será responsável pela capacitação dos profissionais envolvidos, logística das etapas, doação de insumos para coleta e transporte das amostras para seus laboratórios.

O Conexão Saúde: de olho na COVID recebeu cerca de R$ 1,6 milhões do Todos pela Saúde, iniciativa liderada pelo Itaú Unibanco que vem financiamento uma série de ações para o enfrentamento da pandemia.
Informações sobre os parceiros:

SAS Brasil: a equipe de saúde do SAS Brasil, responsável pela integração da telemedicina ao projeto, conta com uma rede de mais de 70 médicos de 13 especialidades, que atendem utilizando o sistema próprio do SAS Brasil, com videochamada e prontuário médico eletrônico. Assim como em outros locais, o SAS Brasil atende a todas as demandas de saúde da população, independentemente de estarem ou não relacionadas à covid-19. Também serão oferecidos atendimentos psicológicos, com mais de 30 profissionais disponíveis por videochamada.

Dados do Bem: o aplicativo Dados do Bem, desenvolvido pelo Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) e a Zoox, funcionará como uma das portas de entrada das pessoas a essa proposta de vigilância ativa. Criado por pesquisadores, infectologistas e equipe de inteligência, a ferramenta, cedida gratuitamente ao Poder Público, fornece um mapa de distribuição do vírus e dados estratégicos sobre a Covid-19 para tomadas de decisão das autoridades.

União Rio: é um movimento voluntário da sociedade civil que uniu pessoas e organizações para tentar reduzir os impactos que poderiam ser causados pela pandemia da COVID-19 no estado do Rio de Janeiro. Com objetivo de preservar vidas, buscam encontrar soluções efetivas na área de saúde, bem como dar suporte às milhares de famílias que vivem em áreas de vulnerabilidade social. O União Rio já viabilizou a ativação de 370 leitos hospitalares e a distribuição de mais de 1 milhão de EPIs a profissionais de saúde, além da doação de cestas de alimentos e materiais de higiene para mais 250.000 famílias em 237 comunidades.

Redes da Maré: com mais de 20 anos de atuação no território, a Redes da Maré atuará na articulação, mobilização e divulgação das ferramentas entre os cerca de 140 mil moradores das 16 favelas da Maré, facilitando o acesso da população aos serviços oferecidos. Desde o início de maio, a Redes da Maré monitora os casos suspeitos de COVID-19 na Maré e publica os dados semanalmente no boletim De Olho no Corona, sempre com análises sobre os efeitos e impactos da pandemia sobre as populações de favelas, especialmente as da Maré.

Conselho Comunitário de Manguinhos: composto por representantes de instituições e grupos sociais reconhecidos pelos moradores com atuação econômica, social e cultural nas comunidades que compõem o território ampliado de Manguinhos, o Conselho visa contribuir para o Desenvolvimento Sustentável da região, promovendo ações e diálogos entre moradores, instituições privadas, governamentais e sóciocomunitárias.

 

Acesse o especial sobre coronavírus do site de Bio-Manguinhos

 

Fonte: Fiocruz. Imagem: Peter Ilicciev