A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) divulgou solicitação feita aos países do continente para que garantam o acesso aos serviços de atenção pré-natal durante a pandemia da COVID-19, pois estudos indicaram que as grávidas possuem maior probabilidade de desenvolver a forma grave da doença causada pelo vírus Sars-CoV-2.

Segundo a Opas, 28.387 casos e 356 óbitos por COVID-19 foram notificados em mulheres grávidas até 11 de agosto.

“Estudos e resultados de vigilância da COVID-19 indicaram risco maior de as grávidas apresentarem a forma grave da doença, e consequentemente de serem hospitalizadas ou precisarem de UTIs”, descreve alerta epidemiológico da organização.

A Opas recomenda que sejam abordados os riscos e vulnerabilidades específicos desta população e que os sistemas de saúde “mantenham contato com as grávidas para fornecer informações sobre quem consultar em caso de emergência, e também para coordenar check-ups virtuais, presenciais ou domiciliares, caso seja necessário”.

 

Acesse o especial sobre coronavírus do site de Bio-Manguinhos

 

Jornalista: Paulo Schueler, com informações da Opas. Imagem: Anusorn Nakdee, Freepik