A retomada das atividades escolares, seja de forma presencila ou online, é um bom momento para lembrar as recomendações que a Unicef lançou no início da pandemia da COVID-19. Confira as sugestões:

 

“A pandemia da doença de coronavírus (COVID-19) prejudicou a vida familiar em todo o mundo. Fechamento de escolas, trabalho remoto, distanciamento físico. Robert Jenkins, Chefe Global de Educação da Unicef, oferece cinco dicas para ajudar a manter a educação das crianças nos trilhos enquanto estão em casa.

1. Planeje uma rotina juntos

Tente estabelecer uma rotina que considere programas de educação apropriados à idade que possam ser seguidos online, na televisão ou através do rádio. Além disso, considere o tempo de reprodução e o tempo de leitura. Use as atividades cotidianas como oportunidades de aprendizado para seus filhos. E não se esqueça de apresentar esses planos sempre que possível.

Embora o estabelecimento de uma rotina e estrutura seja extremamente importante para crianças e jovens, neste momento você pode perceber que seus filhos precisam de algum nível de flexibilidade. Mude suas atividades. Se seu filho parecer inquieto e agitado quando você estiver tentando seguir um programa de aprendizado online com ele, mude para uma opção mais ativa. Não esqueça que planejar e realizar tarefas domésticas em conjunto e com segurança é ótimo para o desenvolvimento de funções motoras finas e grossas. Tente ficar o mais sintonizado possível com as necessidades deles.

2. Tenha conversas abertas

Incentive seus filhos a fazerem perguntas e expressarem seus sentimentos com você. Lembre-se de que seu filho pode ter reações diferentes ao estresse; portanto seja paciente e compreensivo. Comece convidando seu filho a falar sobre o assunto. Descubra o quanto eles já sabem e seguem sua liderança. Discuta boas práticas de higiene. Você pode usar momentos do dia a dia para reforçar a importância de coisas como lavar as mãos regularmente e com cuidado. Verifique se você está em um ambiente seguro e permita que seu filho fale livremente. Desenhos, histórias e outras atividades podem ajudar a abrir uma conversa.

Tente não minimizar ou evitar as preocupações deles. Não se esqueça de reconhecer os sentimentos deles e garantir que seja natural sentir medo destas coisas. Demonstre que está ouvindo, prestando toda a atenção neles e verifique se eles entendem que podem conversar com você e seus professores sempre que quiserem. Avise-os sobre notícias falsas e incentive-os - e lembre-se - a usar fontes confiáveis de informação, como a orientação da Unicef.

3. Disponha do tempo necessário

Comece com sessões de aprendizado mais curtas e as torne progressivamente mais longas. Se o objetivo é ter uma sessão de 30 ou 45 minutos, comece com 10 minutos. Em uma sessão, combine o tempo online ou na tela com atividades ou exercícios offline.

4. Proteja as crianças na web

As plataformas digitais oferecem uma oportunidade para as crianças continuarem aprendendo, participando de brincadeiras e mantendo contato com seus amigos. Porém, o aumento do acesso online traz riscos maiores à segurança, proteção e privacidade das crianças. Converse sobre a Internet com seus filhos para que eles saibam como funciona, do que precisam estar cientes e como é o comportamento apropriado nas plataformas que usam, como vídeo-chamadas.

Estabeleça regras em conjunto sobre como, quando e onde a Internet pode ser usada. Configure o controle dos pais em seus dispositivos para reduzir os riscos online, principalmente para crianças mais novas. Identifique as ferramentas online apropriadas para recreação em conjunto - organizações como a Common Sense Media oferecem conselhos para aplicativos, jogos e outros entretenimentos online adequados à idade. No caso de cyberbullying ou um incidente de conteúdo inapropriado online, familiarize-se com a escola e outros mecanismos locais de denúncia, mantendo à mão um número de linhas de apoio e linhas diretas de suporte.

Não esqueça: não é necessário que crianças ou jovens compartilhem fotos de si mesmos ou outras informações pessoais para acessarem o aprendizado digital.

 

5. Mantenha contato com as instalações educacionais de seus filhos

Descubra como manter contato com o professor ou a escola de seus filhos para se manter informado, fazer perguntas e obter mais orientações. Grupos de pais ou grupos comunitários também podem ser uma boa maneira de apoiar-se mutuamente com sua educação em casa”.

 

Acesse o especial sobre coronavírus do site de Bio-Manguinhos

 

Fonte: Unicef. Imagem: Freepik