parceria anti tabagismoO projeto Access Initiative for Quitting Tobacco fornece às pessoas acesso gratuito à terapia de reposição de nicotina e a uma profissional de saúde digital, chamada Florence, baseada em inteligência artificial que dissipa mitos em torno da COVID-19 e tabaco e ajuda as pessoas a desenvolverem um plano personalizado para deixar de fumar.

A iniciativa é encabeçada pela OMS junto à Força-Tarefa Interagencial das Nações Unidas sobre a Prevenção e Controle de doenças não transmissíveis, PATH e Coalition for Access to NCD Medicines and Products, com apoio do setor privado.

O Secretariado da CQCT da OMS saúda a iniciativa. “Isso contribuirá para a implementação do Artigo 14 da Convenção pelas Partes, em relação a medidas relacionadas à dependência e cessação do tabaco. E, como dito anteriormente: nunca houve um momento mais apropriado para apoiar as pessoas em seus esforços para abandonar o uso do tabaco”, afirmou o chefe do Secretariado.

Ruediger Krech, diretor de Promoção da Saúde, também parabenizou o projeto. "Consideramos bem-vindo o apoio de companhias farmacêuticas e de tecnologia para melhorar a saúde das pessoas e salvar vidas durante a COVID-19. A parceria destaca o que podemos alcançar quando trabalhamos juntos para acabar com a pandemia e, avançando, para nos recuperar melhor".

A OMS recebeu sua primeira doação de terapias de reposição de nicotina para o projeto da Johnson & Johnson Consumer Health. A fabricante doou 37.800 adesivos de nicotina para ajudar 5.400 pessoas na Jordânia a deixar de fumar. Esses esforços ajudarão a OMS a responder à pandemia em andamento e melhorar os resultados de saúde.

A inteligência artificial Florence foi criada com a tecnologia desenvolvida pela empresa Digital People, com sede em São Francisco e Nova Zelândia, Soul Machines, com suporte da Amazon Web Services, e Google Cloud.

A Jordânia, que possui uma das maiores taxas de uso de tabaco do mundo, será o país piloto com empresas e outros países participando da discussão. A princesa Dina Mired da Jordânia, presidente da União Internacional de Controle do Câncer, disse: “Estou satisfeita que a Jordânia faça parte desta iniciativa, que ajudará a defender o controle do tabaco e apoiará as organizações da sociedade civil em seus esforços contínuos para um futuro mais saudável e livre de tabaco no país”.

Na semana passada, o governo da Jordânia adotou a proibição de fumo e da vaporização em locais públicos fechados. A ligação entre tabagismo e COVID-19 torna essencial que os governos adotem leis abrangentes de controle do tabaco que protegerão a saúde de seu povo durante esta pandemia e depois dela.

Embora cerca de 60% dos usuários de tabaco em todo o mundo digam que desejam parar, apenas 30% deles têm acesso às ferramentas que podem ajudá-los. A Access Initiative for Quitting Tobacco foi projetada para fornecer serviços de cessação do tabaco que ajudarão as pessoas a superarem seu vício físico e mental.

 

Acesse o especial sobre coronavírus do site de Bio-Manguinhos

 

Leia também

Fiocruz vira referência da OMS em alternativas ao cultivo de tabaco

 

Fonte: Opas. Imagem: Freepik