site ministro interino visita fiocruz bio manguinhosEm agenda no Rio de Janeiro (RJ), o ministro interino da Saúde, General Eduardo Pazuello, visitou, nesta sexta-feira (29/5), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), uma das principais instituições de pesquisa em saúde pública do mundo. Na ocasião, ele visitou o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), onde são produzidos testes e vacinas, e o Centro Hospitalar Fiocruz para a Pandemia da COVID-19 - INI, que recebeu investimento de R$ 140 milhões do Ministério da Saúde para sua construção, em março deste ano.

Vinculada ao Ministério da Saúde, a Fiocruz é uma instituição de pesquisa e desenvolvimento em ciências biológicas responsável pela produção de insumos, como testes e vacinas. Estiveram com o ministro interino na visita a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima; o diretor de Bio-Manguinhos, Maurício Zuma; e a diretora do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), Valdilea Veloso.

No Centro Hospitalar Fiocruz para a Pandemia da COVID-19, General Pazuello teve a oportunidade de conhecer o projeto desenvolvido em parceria com o Ministério da Saúde, que tem auxiliado os governos estadual e municipal no combate à COVID-19.

A unidade hospitalar de montagem rápida tem 195 leitos exclusivos de tratamento intensivo e semi-intensivo para pacientes graves infectados pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). O centro faz parte do Global Founding, que financia pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o tratamento da COVID-19.

Já na visita à Bio-Manguinhos, o ministro interino da Saúde conheceu o processo de produção do teste RT-PCR (biologia molecular) para diagnóstico da COVID-19 e a capacidade da Fiocruz para realização do processamento dos testes. Hoje, a instituição tem uma capacidade instalada de realização de 14 mil testes por dia. O objetivo da visita foi acertar questões logísticas sobre a utilização dos testes necessários para acompanhar o desenvolvimento da doença no país.

Em Bio-Manguinhos, ele conheceu as instalações do Departamento de Processamento Final (DEPFI) e as unidades de apoio ao diagnóstico de COVID-19 no Centro Henrique Penna (CHP). , No Instituto, ele também foi recepcionado pela vice-diretora de Qualidade, Rosane Cuber; a vice-diretora de Gestão e Relações com o Mercado, Priscila Ferraz; e o chefe de gabinete, Daniel Godoy.

Durante a visita, o ministro interino foi informado sobre o projeto do Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde (CIBS) no campus Santa Cruz, que foi concebido com o objetivo de ampliar a oferta de vacinas e biofármacos. No Complexo serão produzidas vacinas como a Tetra e Tríplice Viral e a contra meningite A e C, por exemplo. O objetivo do CIBS será atender não só aos programas públicos de saúde como também a demanda externa das Nações Unidas (Opas, Unicef e OMS). Além disso, o complexo trabalhará para garantir a autossuficiência brasileira na produção desses insumos.

Também acompanharam a visita do ministro interino da Saúde o deputado federal Luiz Antônio Teixeira Jr. (PP-RJ); os assessores especiais do MS Laura Appi, Airton Cascavel e Zoser de Araújo; o vice-presidente de Gestão e Desenvolvimento Institucional da Fiocruz, Mario Moreira; o vice-presidente de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde da Fiocruz, Marco Menezes; o coordenador de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência da Fundação, Rivaldo Venâncio; o vice-diretor de Serviços Clínicos do INI/Fiocruz, Estevão Portela Nunes; a vice-diretora de Gestão do INI/Fiocruz, Solange Siqueira; e a coordenadora da Atenção de Pacientes Internos da unidade, Denise Medeiros.

 

Acesse o especial sobre coronavírus do site de Bio-Manguinhos

 

Jornalista: Gabriella Ponte, com informações da Agência Fiocruz de Notícias. Foto: Erasmo Salomão, Ministério da Saúde