O teste rápido (TR) para diagnóstico de leptospirose de Bio-Manguinhos, desenvolvido em parceria com a Fiocruz Bahia e Chembio, está próximo de ser disponibilizado no Sistema Único de Saúde (SUS).

No dia 13 de fevereiro, foi lançado o projeto para avaliar a implantação desse teste rápido na rede pública. O objetivo é analisar a efetividade do TR DPP® Leptospirose para auxílio na conduta diagnóstica e manejo clínico da leptospirose pelo SUS. O projeto deverá contar com participantes de todas as regiões do país, começando pelo Sudeste.

 

lancamento kit lepto
(da esq. p/ dir.) Antonio Ferreira, Mauricio Zuma, Marilda Gonçalves, Júlio Croda,
André Abreu e Rivaldo Venâncio durante a cerimônia de lançamento do projeto, na Fiocruz Bahia

Assim como outros testes rápidos do portfólio de Bio-Manguinhos, este também identifica, em sangue total, soro ou plasma, anticorpos para a leptospirose, apresentando o resultado em até 20 minutos, permitindo o tratamento imediato da doença. A leptospirose é uma infecção aguda, potencialmente grave, causada por uma bactéria do gênero Leptospira, e necessita de atendimento de emergência.

O evento de lançamento aconteceu na sede da Fiocruz Bahia, com as presenças do diretor de Bio-Manguinhos, Mauricio Zuma; do gerente do Programa de Reativos para Diagnóstico de Bio, Antonio Ferreira; da diretoria da Fiocruz Bahia e do chefe do Laboratório de Patologia e Biologia Molecular dessa unidade, Mitermayer Galvão; dos representantes da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS), Júlio Croda (diretor do Departamento de Imunizações e Doenças Transmissíveis) e André Luiz de Abreu (coordenador Geral de Laboratórios de Saúde Pública/CGLAB). Rivaldo Venâncio, coordenador de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência da Fiocruz, Arabela Leal, diretora do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/BA), e Stella Souza, presidente do Conselho Estadual dos Secretários Municipais de Saúde da Bahia (Cosems/BA), também estiveram na cerimônia.

Júlio Croda agradeceu ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e ao secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, pelas escolhas mais técnicas em investimento e execução orçamentária para as ações que possam gerar impacto na saúde da população brasileira. “Esse é um momento de retorno para sociedade, principalmente no sentido de todo investimento que é feito em tecnologia e inovação, sendo um produto eminentemente nacional. Iremos disponibilizar esse kit em um momento importante de enchentes em São Paulo e Minas, porque o tratamento faz diferença, evita a progressão da leptospirose e diferenciá-la de outras doenças febris é fundamental”, declarou.

Segundo Mauricio, esse trabalho é um exemplo de como fazer inovação. “O desenvolvimento desse kit trouxe uma geração de pesquisadores que soube transformar o conhecimento em algo prático, o que é complexo de se fazer. Bio-Manguinhos está totalmente preparado para fazer a produção do kit, que será muito importante para a vigilância epidemiológica”, afirmou.

Assista à entrevista de Mauricio Zuma no lançamento do teste rápido de leptospirose.

 

Jornalista: Rodrigo Pereira
Imagem: Fiocruz Bahia