Instituições e publicações da área científica liberaram acesso livre aos conteúdos e pesquisas referentes ao coronavírus para facilitar o acesso a pesquisadores que buscam enfrentar a epidemia classificada pela Organização Mundial de Saúde como "emergência pública global" em 30 de janeiro.

A própria OMS organizou duas seções em seu portal - o Perguntas e Respostas - e o Novas orientações técnicas sobre o coronavírus.

Um grupo de instituições assinou declaração conjunta, enviada pela instituição de saúde Wellcome, comprometendo-se a trabalhar juntos para garantir que os resultados da pesquisa e os dados relevantes para o novo coronavírus sejam compartilhados de maneira rápida e aberta. Em sua declaração, a Wellcome afirma:

“O surto do novo coronavírus na China (2019-nCoV) representa uma ameaça significativa e urgente à saúde global.

Apelamos a pesquisadores, periódicos e financiadores para garantir que os resultados da pesquisa e os dados relevantes para esse surto sejam compartilhados de maneira rápida e aberta para informar a resposta da saúde pública e ajudar a salvar vidas.

Afirmamos o compromisso com os princípios estabelecidos na Declaração de 2016 sobre compartilhamento de dados em emergências de saúde pública e procuraremos garantir que a Organização Mundial da Saúde (OMS) tenha acesso rápido a descobertas emergentes que possam ajudar a resposta global.”

Das instituições signatárias, destacamos as seguintes áreas de acesso aberto ao conhecimento sobre o coronavírus:

- Elsevier

- Springer Nature

- The Lancet

- Wiley

- New England Journal of Medicine

- The BMJ

 

Por fim, outra novidade gratuita disponibilizada aos pesquisadores de todo o mundo partiu da American Journal Experts (AJE), que passou a oferecer edição e tradução gratuitas no idioma inglês para artigos relacionados ao coronavírus. As informações sobre como usar o serviço estão disponíveis em seção especial criada no site da AJE.

 

Jornalista: Paulo Schueler