materia telefoneDesde o último dia 08 brasileiros com 18 anos ou mais residentes nas 26 capitais do país, além de Brasília, estão recebendo ligações do Ministério da Saúde para participarem da mais completa pesquisa brasileira sobre os fatores de risco e de proteção para doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs), como diabetes, cânceres, obesidade, doenças respiratórias e relacionadas ao coração – as principais causas de mortes no país.

A iniciativa dá a largada para a Vigitel 2020 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), pesquisa anual iniciada em 2006 pelo Ministério e que neste ano tem por meta entrevistar cerca de 27 mil pessoas até junho.

“Conhecer a situação de saúde da população é o primeiro passo para planejar ações e programas que reduzam a ocorrência e a gravidade destas doenças, melhorando, assim, a saúde da população”, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, ao site do Ministério da Saúde.

O questionário da Vigitel monitora os fatores de risco das DCNTs através de perguntas sobre hábitos alimentares, estilo de vida, frequência e diagnóstico médico de hipertensão arterial e diabetes, além da realização de exames de mamografia e de papanicolau.

O tempo médio de entrevista é de 12 minutos e as ligações estão sendo realizadas entre 9h e 21h (horário de Brasília) nos dias úteis e entre 10 e 16h aos sábados, domingos e feriados. Não é feita qualquer pergunta sobre documentos pessoais, como RG ou CPF, ou sobre dados bancários. As respostas individuais também são protegidas por sigilo, garantido pela Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011 (Lei de Acesso à Informação) e pela Resolução nº 466 de 12 de dezembro de 2012, do Conselho Nacional de Saúde.

 

Jornalista: Paulo Schueler