Foi noticiado que o Ministério da Saúde enviou ofício no final de novembro a representantes das secretarias de Saúde dos estados e municípios de todo o país anunciando mudanças nas estratégias de vacinação para a vacina de febre amarela a partir de 2020.

De acordo com a nova indicação, a vacinação contra febre amarela será estendida a todos os municípios brasileiros e as crianças de quatro anos receberão dose de reforço a partir de 2020. As novas diretrizes abordam também mudanças na vacinação contra influenza e detalham três campanhas de vacinação que serão feitas ao longo do próximo ano, com as datas das ações e os públicos-alvo.

De acordo com a imprensa, o ofício do Ministério da Saúde anuncia que todo o território nacional passará a ser considerado área de recomendação para a vacina de febre amarela. Isso inclui, por exemplo, partes dos estados da região Nordeste que ainda não estavam sob tal recomendação, como 1.101 municípios de Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí.

O texto do ofício afirma que as novas recomendações estão sendo determinadas “em virtude da situação epidemiológica no País e a necessidade de proteger esta população contra a doença”.

Além de expandir a abrangência territorial para a aplicação da vacina, outra mudança é direcionada a crianças de quatro anos, que, mesmo já vacinadas, passarão a tomar uma dose de reforço nessa idade.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma única dose desse imunizante é capaz de proteger a pessoa por toda a vida. No entanto, o presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Juarez Cunha, indica que estudos avaliam que quando a vacina é dada a crianças muito novas, a duração da imunidade pode ser menor.

“Isso (eficácia menor) acontece principalmente em crianças vacinadas antes dos dois anos. Nessa idade, o sistema imunológico ainda é imaturo e há uma interferência dos anticorpos passados pela mãe”, afirmou o presidente da SBIm em entrevista à imprensa.

 

Jornalista: Paulo Schueler, com informações de O Estado de S. Paulo