O mês de outubro é dedicado à conscientização sobre o câncer de mama.

O Outubro Rosa é uma campanha de conscientização realizada mundialmente em outubro, com a intenção de chamar a atenção da sociedade para o câncer da mama. A cor adotada para o mês remete ao laço que simboliza a luta contra a doença e a mobilização visa a disseminação de dados preventivos e ressalta a importância de olhar com atenção para a saúde.

O movimento teve início em 1990, nos Estados Unidos, quando aconteceu a primeira Corrida pela Cura na cidade de Nova York e laços cor de rosa foram distribuídos a todos os participantes. Desde então, a corrida passou a ser realizada anualmente e o movimento ganhou apoio da população, empresas e entidades ao redor do mundo.

No Brasil, o Outubro Rosa ganhou notoriedade por iluminar com a cor monumentos e prédios públicos de destaque. A campanha tem o apoio e incentivo das mais importantes fundações nacionais com foco na saúde. Durante o mês de outubro, diversas instituições abordam o tema para encorajar mulheres a realizarem seus exames e muitas até os disponibilizam.

O câncer de mama

O câncer de mama é um tumor maligno que ataca o tecido mamário e é um dos tipos mais comuns, sendo o quinto em número de mortes pela doença em todo o mundo, segundo dados da OMS. Para se ter uma ideia, apenas no Brasil, cerca de 60 mil novos casos de câncer de mama são estimados até o final de 2019.

Ao contrário do que muita gente acredita, o câncer de mama pode se desenvolver tanto em homens quanto em mulheres, embora seja mais comum no segundo grupo. Há ainda vários tipos de câncer de mama, pois a doença pode evoluir de forma diferente, se desenvolvendo mais ou menos rapidamente em cada organismo.

Apesar da alta incidência, o câncer de mama tem tratamento e grande potencial de cura quando descoberto precocemente. Por isso, a forma mais eficiente de lutar contra a doença é focando na disseminação das informações sobre prevenção e atenção à saúde.

A importância do autocuidado

O câncer de mama não tem uma causa específica, mas segundo o Instituto Nacional de Câncer - INCA, é possível reduzir em 28% o risco de uma mulher desenvolver câncer de mama a partir da adoção de alguns hábitos. Entre eles estão:

. Praticar atividade física regularmente;

. Alimentar-se de forma saudável;

. Não fumar;

. Ter o peso corporal adequado;

. Não ingerir bebidas alcoólicas;

. Evitar uso de hormônios sintéticos em altas doses.

Além disso, o diagnóstico precoce possibilita que as chances de cura sejam muito maiores. Por isso, é importante incentivar as mulheres a conhecerem o próprio corpo e suas mamas. Dessa forma é possível procurar um médico imediatamente caso identifiquem alguma alteração que possa indicar uma anormalidade suspeita.

A mamografia também deve ser realizada periodicamente a partir dos 50 anos ou solicitada pelo médico em qualquer idade caso haja alguma alteração suspeita ou histórico familiar que justifique uma investigação mais criteriosa. O exame é oferecido pelo Sistema Único de Saúde – SUS para qualquer idade, conforme indicação médica.

Assim como em outras doenças, a informação e o autocuidado ainda são os melhores remédios contra o câncer da mama. Você pode saber mais sobre a doença e seu tratamento no site do INCA dedicado especialmente ao assunto.

 

Leia também

Outubro Rosa 2019

 

Jornalista: Thais Christ, com informações do Instituto Nacional de Câncer - INCA