Macaé, no interior do Rio, estenderá a vacinação contra a febre amarela a idosos acima de 60 anos, gestantes e lactantes. A medida inicia na segunda-feira (19/6) e atende a determinação do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde. Até a quarta-feira (14/6), cerca de 185 mil pessoas foram imunizadas contra a doença no município.

Dos quatro casos positivos para a doença em Macaé, dois foram a óbito, por isso a importância do reforço no cinturão de bloqueio. As confirmações foram registradas em localidades na região serrana: Córrego do Ouro, Serra da Cruz, Cachoeiros de Macaé e Areia Branca.

A vacina está disponível de segunda a sexta-feira, de 8h as 16h, na Casa da Vacina e nas unidades de Estratégia Saúde da Família (ESF). Para receber as doses, os idosos, lactantes e gestantes terão que apresentar autorização médica e comprovante de residência.

 

idosos-gestantes-430x285

Idosos, gestantes e lactantes serão imunizados contra a doença
Imagem: Divulgação / Ministério da Saúde

 

"Já iniciamos a vacinação em toda população serrana, onde está sendo realizada varredura contra a febre amarela, que consiste na realização de visitas casa a casa para identificar a situação vacinal da população-alvo residente e busca ativa para vacinação nas localidades mais afastadas. Mas, neste momento, todas as pessoas residentes no município, a partir de nove meses de idade, fazem parte do grupo prioritário para vacinação contra a febre amarela, incluindo gestantes, mulheres que estejam amamentando e idosos acima de 60 anos", explica a coordenadora de Vigilância em Saúde, Ana Paula Dal-cin.

De acordo com a Nota Informativa do Ministério da Saúde que regulamenta a vacinação aos novos grupos, as contraindicações absolutas são para crianças menores de nove meses; imunossupressão à doenças ou terapias (quimioterapia, radioterapia, corticóides em doses elevadas); pacientes em uso de medicações antimetabólicas ou medicamentos modificadores do curso da doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Rituximabe); transplantados e indivíduos que apresentaram reação de hipersensibilidade grave ou doença neurológica após dose prévia da vacina.

 

Fonte: G1