anopheles-larvaNos 23 primeiros dias de 2017, a cidade de Mâncio Lima já registra 603 casos de malária. Em 2016, no mesmo período, os casos eram de 510. Os dados foram divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde e, segundo a secretária da pasta, Irlene Bandeira, ações preventivas estão sendo feitas para inibir novos casos. “Nós estamos fazendo uma ação conjunta da prefeitura e Secretaria de Saúde, fazendo mutirões de limpezas nos bairros para reverter essa situação, além de visitas em todas as casas”, informa.

Ela diz ainda que o município conta com dez agentes de endemias e que o número não é suficiente para poder atender a população. “Não é o suficiente para atender todo mundo e estamos em parceria com os agentes de saúde por conta dessa deficiência. Além disso, todos os nossos veículos estão sem condições de uso, o que dificulta ainda mais o nosso trabalho”, destaca. 

A secretária ainda pediu a colaboração da população para que novos casos não surjam. “Estamos conseguindo controlar. A medicação já chegou e agora vamos trabalhar para controlar e pedimos a ajuda da população que compreenda e nos ajude, porque unidos somos mais fortes”, finaliza.

 

malaria 430x285

Casos de malária em Mâncio Lima contabilizam 603. Imagem: Adelcimar Carvalho/G1

 

Medicamentos

Após sofrer mais de dois meses com a falta de medicamento para tratar a malária, Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves e Mâncio Lima receberam 60 mil comprimidos de primaquina, medicação usada para tratar a doença, no início de janeiro.

A segunda maior cidade do estado recebeu 30 mil doses, já Rodrigues Alves e Mâncio Lima receberam 15 mil cada uma. Durante o período que faltou o medicamento, os pacientes estavam sendo tratados apenas com cloroquina.

 

Casos em Rodrigues Alves

Com 142 casos de malária registrados nos 13 primeiros dias de 2017, o município de Rodrigues Alves, interior do Acre, cogitou decretar estado de emergência por conta da doença no início de janeiro. Essa seria a segunda vez em menos de um ano que a prefeitura do município tomaria esse tipo de ação, a primeira ocorreu em março do ano passado na gestão anterior.

 

Fonte: Anny Barbosa / G1 Cruzeiro do Sul e Região