Diante do surto de febre amarela que o país enfrenta e a repercussão do assunto na imprensa nacional e internacional, é importante esclarecer os principais sintomas e formas de transmissão da doença, deixando claro o que é verdade e mito.  Em tempos de redes sociais, em que boatos se espalham e informações de fontes não oficiais são divulgadas e compartilhadas muitas vezes, atingindo alta capacidade de viralizar, o Ministério da Saúde tem utilizado, especialmente sua página no Facebook, para tirar dúvidas sobre a doença e a vacina.

Seguindo essa mesma filosofia, de reforçar o compromisso com a saúde pública e evitar que informações incorretas se propaguem causando pânico desnecessário, Bio-Manguinhos vem publicando no site institucional diversas notícias, que também são postadas em seu perfil no Facebook. Para que você possa compartilhar apenas informações corretas e cientificamente comprovadas e embasadas em pesquisas, recomendamos que acesse o perfil do Ministério da Saúde e as diretrizes do site da instituição. 

 


16142997 1477848688900409 103181264748410681 n

Ministério da Saúde tem publicado, diariamente, conteúdos para orientar a população

 

Confira abaixo as principais dúvidas sobre a vacina febre amarela, contraindicações, prevenção e dicas para quem vai viajar: 


Qualquer um deve tomar a vacina?

No Brasil, nas áreas com recomendação de vacinação de rotina, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) orienta uma dose aos nove meses, com reforço aos 4 anos. Acima desta idade, duas doses, com intervalo de dez anos. Em situações de surto, recomenda-se antecipar a primeira dose para os seis meses de idade, repetindo-se a vacinação aos nove meses e quatro anos de idade. Essa regra também vale para aqueles que residem ou irão viajar para regiões endêmicas de febre amarela. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda somente uma dose, e esta recomendação se aplica aos viajantes internacionais.

A vacina da febre amarela é eficaz?

Sim, ela tem eficácia comprovada de mais de 95%

A vacina pode causar efeitos adversos?

Dentre os efeitos adversos mais comuns após aplicação da vacina estão febre, dor de cabeça e muscular, além de reações no local da aplicação. Um dos mais graves problemas associados à vacina atenuada é a doença viscerotrópica, reação grave e rara, na qual o vírus se replica de forma anormal e pode haver falência múltipla de órgãos. De acordo com o consultor científico sênior, Reinaldo Menezes, tal ocorrência é rara, podendo ocorrer em 1 a cada 400 mil doses aplicadas.

As gestantes devem ser vacinadas?

A vacina somente deve ser administrada com orientação médica, avaliando o risco/benefício da vacinação.  Em áreas com circulação do vírus e casos humanos elas devem ser vacinadas, mas avaliação pela equipe de saúde é necessária.

Quais são os grupos que devem ser avaliados antes da aplicação da vacina?

Há indicações de que pessoas portadoras de doenças autoimunes, como lúpus eritematosos sistêmico, podem ter maior risco de eventos adversos graves após administração da vacina contra febre amarela. O seu uso nessa eventualidade somente deve ser realizado após avaliação de risco-benefício, a critério médico. Também há evidências de que pessoas com histórico de doença do timo, por exemplo, timoma, miastenia gravis, timectomia, ou doenças autoimunes, como lúpus eritematoso sistêmico, têm risco aumentado de doença viscerotrópica associada à vacinação contra febre amarela.

Idosos devem receber a vacina febre amarela?

Alguns estudos indicam que há risco aumentado de eventos adversos após a administração da vacina contra febre amarela em pessoas idosas. Deve-se avaliar o risco x benefício da vacinação contra febre amarela neste grupo etário.


Quem não pode receber a vacina?

A vacina contra febre amarela não deve ser usada em pessoas submetidas a tratamento com corticosteróides, antimetabólitos, radiação ou a qualquer outra terapia imunossupressora.

Quem vai viajar para áreas endêmicas, deve se vacinar?

Os Ministérios do Meio Ambiente (MMA) e da Saúde (MS) reforçam aos interessados em viajar para áreas com risco de ocorrência da febre amarela a importância de tomar a vacina contra a doença. Áreas de ecoturismo l e locais com matas e rios, onde o vírus e seus hospedeiros ocorrem naturalmente, são identificadas como áreas de risco. A vacina contra a febre amarela é ofertada no calendário nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) e é enviada, mensalmente, para todo o país. De acordo com o Ministério da Saúde, pessoas que desejam viajar para áreas com recomendação de vacina devem receber a primeira dose pelo menos 10 dias antes da viagem.

Que estados brasileiros exigem a vacinação contra febre amarela?

A maior parte do território brasileiro é considerada área com recomendação para vacinação de rotina contra a doença. Não fazem parte desta lista Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Que países requerem a vacinação contra febre amarela?

Confira aqui a listagem da OMS dos países que requerem a vacinação obrigatória.

 

 

Jornalista: Isabela Pimentel (Com informações do Ministério da Saúde) 
Imagens: Divulgação/ Ministério da Saúde