Durante todo o ano de 2016, a Assessoria de Comunicação (Ascom) contou com uma ajuda multidisciplinar na análise de dados e métricas do site e Facebook, fazendo com que os dois meios tivessem bons resultados qualitativos e quantitativos. O Grupo de Trabalho (GT), que conta com 24 colaboradores, se reuniu nove vezes para discutir estrategicamente os temas que estão em voga na mídia e verificando a melhor forma de tirar as dúvidas da população brasileira.

fanpage de Bio no Facebook começou o ano com 4.164 curtidas e agora* conta com 6.169, ou seja, foram conquistados um pouco mais de 2.000 membros no decorrer de 2016. Um dos objetivos é se relacionar com os mais diversos públicos de forma mais direta, estreita e intensa, como mães, parceiros, pacientes que se medicam com os biofármacos produzidos por Bio, profissionais da área de saúde, entre outros.

É muito comum a população buscar informações sobre dicas de saúde, surtos de doenças, dúvidas com relação a sintomas, formas de transmissão e tratamento de algumas enfermidades na internet. Bio-Manguinhos tem o objetivo de se tornar referência em oferecer dados confiáveis sobre saúde pública. Um dos indicativos de que está indo no caminho certo é a busca no Google por alguma doença que consta no sitee Bio aparece sempre entre os três primeiros resultados.

Diariamente, a Ascom acompanha os termos mais buscados na fanpage e no site, quais as páginas mais acessadas, o tempo que os usuários gastam no site, acessos de outros país, acesso em tempo real, entre outros. Em cima destes dados, a rede busca atender às demandas através de atualizações com informações precisas, minimizando boatos.

 

face-430x285

Rede formada por 24 funcionários de diversas áreas de Bio contribuíram no conteúdo
dos veículos de comunicação externa. Imagem: Diego Destro - Ascom / Bio-Manguinhos

 

Os surtos de zikacaxumba, febre amarela e coqueluche ou perguntas comuns dos usuários, como por exemplo como os produtos de Bio são distribuídos, são alguns dos exemplos de temas que acabaram se tornando matérias. Estas reportagens tiveram grande repercussão não só nos meios de comunicação de Bio e da Fiocruz como também foram replicados em outros sites. É importante que Bio preste serviço à sociedade na divulgação científica de forma objetiva e informal para que qualquer brasileiro entenda a mensagem e possa tirar suas dúvidas.

Entre os conteúdos que mais fizeram sucesso no Facebook estão memes envolvendo o Zé Gotinha, a série “Mamãe e papai, vocês sabiam?” tirando dúvidas dos pais sobre doenças e outros assuntos relacionados à infância e adolescência, as datas comemorativas e os eventos de Bio com fotos dos colaboradores, posts com fotos tiradas pelos campus enviadas pelos usuários, sequências de posts da #CampanhaMeioAmbiente e a contagem regressiva para os 40 anos da unidade com 40 posts históricos e, agora em dezembro, uma retrospectiva do ano com os principais destaques e desafios que o Instituto enfrentou.

Participam do GT colaboradores da Assessoria Clínica (Asclin), Assessoria de Engenharia Industrial (Aseind), Assessoria de Engenharia de Segurança do Trabalho e Meio Ambiente (Aestm), Assessoria de Planejamento e Organização (Asspo), Assessoria de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia (NitBio), Departamento de Recursos Humanos (Dereh), Departamento de Relações com o Mercado (Derem), Departamento de garantia da Qualidade (Degaq), Divisão de Atendimento ao Cliente Pós-Markenting (Diacm), Gestão do Conhecimento (GC), Mestrado Profissional em Tecnologia de Imunobiológicos (MPTI), Seção de Gestão de Documentos e Arquivos (Sigda) e Responsabilidade Socioambiental (Somar).

 

Em números

O perfil dos fãs da página do Facebook é 74% feminino e 26% masculino. O público é composto por 6.049 brasileiros. Os estrangeiros também acessam a página e, ao total, são 120 membros oriundos de 35 países como Estados Unidos, Portugal, Reino Unido, Argentina e Canadá. O acervo é composto por cerca de 7.800 fotos e 41 vídeos.

O site de Bio-Manguinhos teve um crescente, e notável, aumento de visitas nos últimos anos. Em 2014, foram 868 mil, subindo para 2,2 milhões em 2015 e alcançou 4,4 milhões de acessos esse ano. O recorde foi quebrado no dia 21 de abril, com 20.812 acessos. Foram divulgadas quase 200 notícias e criadas novas áreas como Tecnovigilância e visitas. Brasil, Portugal, Angola, Estados Unidos e Índia foram os países que mais acessaram o site de Bio. Os termos mais buscados foram caxumba, rubéola, febre amarela, sarampo e tétano.

Curta, siga, leia os posts e compartilhe as informações que Bio divulga na internet. Você também pode contribuir com o conteúdo dando sugestões. Envie e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 

 

*Dados de 28.12.2016

Jornalista: Gabriella Ponte