A Secretaria de Saúde de Jundiaí (SP) registrou aumento de 864% no número de casos de caxumba na cidade em 2016. De janeiro a novembro foram contabilizados 328 pacientes com a doença, enquanto que em 2015 o diagnóstico foi feito a 34 pessoas. A pasta ressalta que os dados de dezembro ainda não foram fechados.

O Ministério da Saúde investiga o que pode ter causado o aumento de casos. Em nota, a secretaria não divulgou a quantidade de surtos de caxumba na cidade, mas explicou que registra a ocorrência quando há pelo menos dois casos no mesmo local, como escola e indústria.

Quando os dados começaram a preocupar os profissionais, em maio, um alerta foi emitido à população. O objetivo era divulgar os sintomas e formas de prevenção. Sobre as medidas de bloqueio, a prefeitura informa que intensificou as medidas e que o trabalho é iniciado depois do cruzamento de notificações. 

 


Caxumba (Foto: Reprdução/TV Globo)Entre os sintomas da caxumba está o aumento de glândulas salivares.
Imagem: Reprdução/TV Globo

 

Sintomas e tratamento

Quem tiver febre e notar aumento no volume de uma ou mais glândulas salivares, submaxilares ou sublinguais e dor abaixo da mandíbula, devem procurar atendimento médico nas unidades básicas de saúde, pronto atendimentos ou hospitais. Segundo a Secretaria de Saúde, todos os locais estão preparados para receber os pacientes.  

A caxumba é transmitida por via aérea, contato direto com saliva de pessoas infectadas ou disseminação de gotículas. Para evitar a transmissão é recomendado manter os ambientes ventilados. Não há tratamento específico para a doença, mas os pacientes são orientados a fazer repouso e ingerir analgésico para aliviar a dor.

 

Fonte: G1 Sorocaba e Jundiaí