macaco-febre-amarelaUm laudo do Instituto Adolfo Lutz de São Paulo confirmou a morte por febre amarela de um macaco bugio encontrado na Estância Navarrete, região sul de São José do Rio Preto (SP). O macaco foi achado no dia 25 de agosto e o resultado do exame foi divulgado nesta semana. O animal foi encontrado morto por um morador, que avisou a Vigilância Epidemiológica.

Por causa disso, a Secretaria de Saúde deu início à campanha de vacinação contra febre amarela e busca ativa de potenciais casos da doença na área dos loteamentos Estância Santa Inês, Vista Alegre I, Vista Alegre II, Jardim Navarrete, bairro Santa Inês, Santa Maria, São Marcos, Estância São Marcos e Estância São Pedro, na região Sul do município.

A medida teve início nesta semana, após a confirmação da morte do macaco. A febre amarela pode ser transmitida ao homem pelo mosquito aedes aegypti, também transmissor de dengue, vírus da zika e chikungunya. Mas o tipo diagnosticado no macaco é a febre amarela selvagem, que é transmitida por outro mosquito.

Equipes da secretaria estão visitando os loteamentos de chácaras, escolas e comércios para levantar a situação vacinal dos moradores em relação à doença. Quem ainda não foi vacinado ou está com a vacina em atraso recebe a dose no momento da visita. 

Além dessa ação, agentes de saúde vão estar nas localidades na quinta-feira  (15) e sexta-feira (16), para bloqueio. Serão visitados imóveis para retirada de potenciais criadouros e no sábado, será iniciada nebulização com veneno a fim de eliminar mosquitos adultos. O município de São José do Rio Preto não registra casos, nem óbitos por febre amarela em humanos desde o ano 2000.

 

marcos-freire-febre-amarela-band

Veja esta reportagem da TV Band, com entrevista do vice-diretor de
Desenvolvimento Tecnológico de Bio-Manguinhos, Marcos Freire, neste link

 

Doença
A febre amarela é uma doença grave, que pode matar, por isso a importância da vacinação para quem ainda não tomou a vacina ou está com a dose em atraso. Rio Preto tem a vacina disponível em qualquer uma das 27 unidades de saúde do município.

A vacina, no entanto, não é recomendada para mulheres grávidas, mulheres que estejam amamentando criança com menos de 6 meses de vida, pessoas com doenças ou em tratamento que prejudique a resposta imunológica (HIV/AiDS, quimioterapia, etc) e pessoas com alergia grave ao ovo ou a algum componente da vacina.

 

Outro caso
Neste ano um operário de 38 anos morreu por causa da febre amarela na região de Rio Preto. A vítima morava em Bady Bassitt (SP) e morreu depois de ficar duas semanas internado no Hospital de Base de Rio Preto. Há oito anos a região não registrava casos desta doença. Esse caso de febre amarela é do tipo silvestre e não da urbana, segundo a Sucen.

 

Fonte: G1