ennio-de-gregorioO chefe de pesquisa e desenvolvimento preclínico da GSK Vaccines Italy, Ennio De Gregorio, ministrou uma palestra sobre adjuvantes no segundo dia do III Simpósio Internacional de Imunobiológicos. Seu enfoque foi falar que a indústria farmacêutica vem enfrentando o desafio de criar uma nova geração de adjuvantes que sejam mais fáceis de produzir, com menos custos e que dêem mais eficácia às vacinas.

Os adjuvantes são essenciais na composição de vacinas inativadas pois esses irão dificultar o processamento do antígeno pelas células apresentadoras de antígeno, dessa forma também aumentam o período em que o antígeno estará em contato com o sistema imune aumentando assim a resposta imunológica.

Ennio explica os benefícios que os adjuvantes podem fazer na composição das vacinas. “Podem aumentar e superar a imunodeficiência em idosos e imunocomprometidos. Esses compostos também podem aumentar a sobrevivência dos anticorpos, aumentar a amplitude de diferentes cepas, reduzir o número de doses das vacinas, passando às vezes de três para um, oferecendo uma proteção mais rápida após a primeira dose. Eles oferecem respostas rápidas na eficácia de redução de doenças. Reduzem, ainda, a quantidade de antígenos diminuindo o custo das vacinas”, enumerou.

 

adjuvantes-gabriella-430x285

Ennio explica os benefícios que os adjuvantes podem fazer na composição das vacinas.

 

O especialista conta que as empresas estão tentando mudar a  pesquisa empírica no design racional e criar uma nova geração de adjuvates. “Elas otimizam a qualidade de resposta imune, reduzem a reatogenicidade e aumentam a segurança. Atualmente, a maioria deles ainda são os tradicionais. O maior desafio é saber o que precisamos fazer para tornar os adjuvantes da nova geração mais eficazes”, destacou Ennio.

A GSK já começou a analisar profundamente uma série de moléculas trabalhando na solubilidade e na formulação desses compostos. “Assim, podemos trabalhar para melhorar as vacinas já existentes e isso ajudará, ainda, no desenvolvimento de novas vacinas ainda mais potentes e eficazes. Poe exemplo, experimentamos na vacina de staphylococcus aureus a resposta das células T  e houve aumento de resposta dos anticorpos. Queremos explorar isso em outras vacinas como, por exemplo, na meningocócia C”, concluiu.

 

arrow-2Acesse no link abaixo sua apresentação:

Novel Adjuvants For Human Vaccines

 

Texto e imagem: Gabriella Ponte