O combate ao mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, a chikungunya, além do vírus Zika, é responsabilidade de todos. O vetor precisa ser eliminado de norte ao sul do país. Para incentivar a mobilização e compartilhar experiências, o Ministério da Saúde, por meio do portal da Comunidade de Práticas (CdP) , lançou uma chamada para premiar as melhores iniciativas desenvolvidas por profissionais de saúde, prefeituras e pela sociedade civil relacionadas ao mosquito.

O objetivo é dar visibilidade às ações que usem as ferramentas disponíveis, como os protocolos, nos eixos de trabalho do Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes aegypti e à Microcefalia: Mobilização e Combate ao Vetor; Cuidado (vigilância e atenção à saúde); e Desenvolvimento Tecnológico, Educação e Pesquisa.

Fernanda Marcolino é facilitadora no Comunidade de Práticas e explica a função da plataforma na replicação das experiências. “A questão do edital serve a mesma lógica do nosso espaço de relato de experiências. Nossa intenção é que as pessoas tragam a vivência em seu território, tanto as experiências exitosas, quanto as que ele tem dificuldade, favorecendo a troca e o processo de educação permanente. Essas experiências relatadas podem dar ideias e serem motivadoras para outras regiões”.

Serão selecionados oito relatos, que terão divulgação completa em mídias da Comunidade de Práticas e de parceiros. Os três melhores terão a oportunidade de mostrar sua experiência pessoalmente, no Ministério da Saúde, em Brasília (DF), com custeio de passagens aéreas e diárias. A premiação está aberta a estudantes, trabalhadores, docentes, gestores e usuários do SUS do âmbito local, municipal, regional, estadual ou nacional, bem como pessoas ligadas a instituições e sociedade civil que desenvolvem experiências relacionadas ao combate ao Aedes aegypti, assim como o manejo das doenças causadas pelo vetor.

Para se inscrever não é preciso elaborar um material complexo. O próprio formulário indica algumas perguntas que podem ser respondidas e a comunidade conta com curadores para ajudar na formatação do material. “Os relatos são bem livres e as pessoas podem anexar vídeos, fotos e até letras de música, roteiro de um teatro, por exemplo. Por meio dos curadores, nós ajudamos na construção dos relatos. Sabemos que muitas vezes que os profissionais têm dificuldade de organizar texto, mas que as experiências são muito ricas. Às vezes recebemos relatos bem simples e o curador ajuda trazendo algumas perguntas, explorando até um pouco da história deste trabalhador”, conta Fernanda.

Confira alguns dos relatos que já estão na plataforma.

Feira Municipal de Saúde: Todos contra o Aedes Aegypti
Coqueiros do Sul (RS)

CA coqueiro do suk

ALUNOS EM AÇÃO: O combate ao mosquito aedes começa em casa.

Campo Maior (PI)

CA campomaior

Piloto de implantação do aplicativo para dispositivo móvel Aedes em Foco

Juatuba (MG)

CP aedes em foco

 

Plataforma colaborativa

A Comunidade de Práticas é uma rede social para troca de experiências e informações sobre saúde. Criada em 2012, a plataforma colaborativa possui cerca de 50 mil pessoas inscritas, entre gestores e trabalhadores do SUS.

A rede busca fortalecer e qualificar as ações e serviços de saúde, com o compartilhamento de conhecimento e de práticas em um ambiente virtual aberto, democrático e participativo. O participante pode interagir por meio de comunidades temáticas, além de ter acesso aos cursos gratuitos online como estratégia de educação permanente e de inovação pedagógica na educação.

Ao dividir uma vivência, o participante dessa rede pode inspirar outros trabalhadores, seja seu relato reflexo de um enfrentamento com resultados positivos ou não. Afinal, dificuldades e grandes desafios também revelam, de forma importante, outros caminhos e alternativas a serem seguidos.

Acesse o regulamento e faça a inscrição. 

Fonte: Gabriela Rocha/ Blog da Saúde