As obras para a construção do Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde (CIBS), empreendimento em curso em Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro, não param. 

No último mês, houve avanços no plantio das árvores para a compensação ambiental e formação de um "cinturão verde" ao redor do terreno. Além disso, foi feita a construção da cerca em parte do perímetro do terreno, ficando a área completamente cercada. Outro fato recente é a preparação para a cravação, com soldas para emendar as estacas metálicas já recebidas para a obra. 

Também foi concluída a licitação para a construção da adutora de água potável que irá levar a água para a futura fábrica, interligando com o sistema da Cedae.

 

obras CIBS interna

Outro fato recente é a preparação do terreno para a cravação,
com soldas para emendar as estacas. Imagem: Divulgação

 

Sobre o empreendimento

O Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde de Bio-Manguinhos será um dos mais modernos centros de biotecnologia do mundo e foi concebido a partir do que há de mais avançado em tecnologia para áreas produtivas de imunobiológicos.

O objetivo maior é ampliar a oferta de vacinas e biofármacos para os programas públicos de saúde, dando ainda mais acesso à população a produtos de alta qualidade, regulando preços. A entrada da Fiocruz em mercados hoje controlados por empresas multinacionais — como o de anticorpos monoclonais para uso oncológico e doenças raras, autoimunes, degenerativas infecciosas, vacinas terapêuticas, entre outros — aumenta as possibilidades de estabelecimento de parcerias para desenvolvimento tecnológico e transferências de tecnologia, e a competitividade do Brasil no setor de biotecnologia.

A construção do novo centro garantirá a manutenção do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

 

Jornalista: Isabela Pimentel