O Ministério da Saúde, com apoio da Secretaria de Vigilância em Saúde e do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, anuncia a Nota Informativa N° 149, de 2015, trazendo as mudanças no Calendário Nacional de Vacinação para o ano de 2016.

Uma das principais mudanças diz respeito à vacina conta a hepatite B, cuja oferta será ampliada à população, independentemente da idade ou condições de vulnerabilidade. Com o aumento da expectativa e qualidade de vida da população idosa, que, agora, tem atividade sexual em ascensão, a probabilidade de doenças sexualmente transmissíveis aumenta.

A dinâmica da vacina para poliomelite também sofreu ajustes: ocorrerá a substituição da terceira dose, administrada atualmente com a vacina oral poliomielite (VOP), pela vacina inativada poliomielite (a partir de janeiro).

 

calendario-vacinal-430x285

Toda a população brasileira deverá ficar atenta às alterações
do calendário vacinal em 2016. Imagem: Divulgação

 

Já a vacina pneumucócica 10 valente adotará o esquema básico de duas doses (aos 2 e 4 meses) e reforço preferencialmente aos 12 meses, podendo ser administrado até os 4 anos de idade.

Mudaram ainda as normas para as vacinas de hepatite A, que agora será administrada aos 15 meses de idade; a papiloma vírus humano (HPV), que demandará apenas duas doses (ao invés de três), e a vacina meningocócica C (conjugada), que deverá ser administrada, no primeiro reforço, preferencialmente aos 12 meses (podendo ser feito aos 4 anos).

Veja a Nota Informativa na íntegra aqui.

 

Fonte: Sociedade Brasileira de Infectologia