Parceria sólida 

A equipe de Procópio Senna conta com o apoio fundamental do Laboratório de Pesquisa em Infecção Hospitalar, do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), que atua como centro colaborador da Rede de Resistência Microbiana Hospitalar (rede RM), da Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde. 

Por receber amostras para caracterização dos mecanismos de resistência, oriundas de quase todo o país, o Laboratório possui um acervo com exemplares de bactérias multirresistentes que compõem a Coleção de Culturas de Bactérias de Origem Hospitalar do IOC. Este material é utilizado em pesquisas relacionadas à epidemiologia molecular, no desenvolvimento de novos alvos para o controle de infecções e em novos métodos de diagnóstico.

 

especial-2

Especialista analisou contaminação por KPC.


A pesquisadora e microbiologista do IOC, Ana Paula Assef, conta que em caso de ocorrência de surto em um hospital, o laboratório faz a tipagem molecular das amostras para avaliar a relação entre elas, além de identificar o mecanismo de resistência. Assef lembra que nos anos 80, para tratamento de infecções provocadas por bactérias multirresistentes, utilizava-se um grupo de drogas potentes de última geração, chamadas carbapenêmicos. "Com o aumento da utilização destas drogas, houve uma elevação significativa da taxa de resistência a estas substâncias, assim voltou-se a utilizar as polimixinas, drogas antigas que apresentam certa toxicidade ao homem", afirma.

A pesquisadora explica que, atualmente, uns dos principais problemas relacionados a resistência nos hospitais são as bactérias produtoras de carbapenemases, como a enzima KPC. Antes restrita a ambientes hospitalares, agora estas enzimas também podem ser encontradas no meio ambiente. Assef fez parte de uma pesquisa que analisou a água do Rio Carioca, no Rio de Janeiro, em 2014 e encontrou tal enzima.

"Bactérias produtoras da enzima KPC foram identificadas em amostras de água coletadas em três pontos do Rio Carioca que atravessam a Zona Sul da cidade: no Largo do Boticário, no Cosme Velho; no Aterro do Flamengo, antes da estação de tratamento do rio; e na foz do Rio Carioca, no ponto onde ele desagua na Praia do Flamengo", acrescenta.

A microbiologista destaca que as bactérias que produzem carbapenemases, como a KPC,  são resistentes aos principais antibióticos utilizados no mercado, exigindo o uso de medicamentos mais potentes.  Daí a importância da busca por novos alvos e investimentos em anticorpos monoclonais e da realização de investimentos para pesquisas no setor, já que o problema se torna um desafio em todo o planeta.

 

Jornalista: Isabela Pimentel

Imagens: National Institutes of Health (NIH) / Gutemberg Brito – IOC / Isabela Pimentel – Assessoria de Comunicação (Ascom/ Bio-Manguinhos)