A deficiência de hormônio de crescimento (DGH) é uma doença rara, se constitui em uma importante causa de baixa estatura na infância, com uma prevalência de uma em cada 4.000 crianças. Na maioria das vezes, a doença é esporádica, sem causa definida; mas as formas mais graves podem ser familiares.

O hormônio de crescimento é muito mais importante para o crescimento pós-natal do que para o crescimento intrauterino. Apesar de as crianças com deficiência congênita de GH poderem nascer um pouco menores, sua manifestação clínica ocorre ao redor do 3º ou 4º ano de vida, quando fica cada vez mais evidente que a criança não está crescendo bem e, do ponto de vista de estatura, está abaixo de seus pares. Os pacientes parecem mais jovens do que são.

A deficiência desse hormônio pode ser congênita, com origem ainda no período de gestação. Ou ser adquirida em virtude de traumas, como infecções, tumores e outras doenças que atinjam a hipófise, que está localizada na base do cérebro.

São sinais e sintomas da deficiência de hormônio de crescimento: baixa estatura com baixa velocidade de crescimento; cabelos finos; voz estridente; maturação óssea e dentição atrasada.
Quando a deficiência de GH se associa a outras deficiências hipofisárias, o quadro clínico pode se manifestar precocemente com hipoglicemias. Portanto, hipoglicemia neonatal é uma manifestação clínica potencial de deficiência de hormônio de crescimento.