As espondiloartrites representam um grupo de doenças inflamatórias crônicas que, quando não tratadas, a coluna e articulações periféricas podem ser acometidas. No caso da axial não radiográfica, as manifestações da doença não são visíveis em exames radiográficos. Aproximadamente 50% dos pacientes pode progredir para uma doença, a espondilite anquilosante.

O conceito de Espondiloartrite axial não radiográfica foi estabelecido há mais de uma década. No entanto, dúvidas e questionamentos sobre seu diagnóstico estão presentes em artigos e conversas entre especialistas.

Esse conceito abrange espondiloartrites que não apresentam alterações radiográficas no momento do diagnóstico, ou seja, pacientes que apresentam critérios para diagnóstico de espondiloartrites porém não possuem alterações nas articulações sacro ilíacas visíveis à radiografia. Neste conjunto estão presentes todas as doenças pertencentes a este grupo (espondilite anquilosante, artrite psoriásica, espondiloartrite indiferenciada, artrite enteropática, artrite reativa).

Isso quer dizer que o conceito de espondiloartrite axial não radiográfica envolve a espondilite anquilosante sem alterações radiográficas, e outras doenças do grupo das espondiloartrites que não apresentam alterações radiográficas das articulações sacro ilíacas.

É preciso esclarecer que os critérios de classificação das espondiloartrites são fundamentais para pesquisa clínica, ou seja, devem ser utilizados com rigor na captação de pacientes que participarão de estudos clínicos envolvendo este grupo de doenças. No entanto, deve-se ter um olhar crítico quando utilizamos esses critérios na pratica clínica.

Muitas vezes um paciente que não apresenta alterações radiográficas das sacro ilíacas pode ter o diagnóstico de espondiloatrite e outras vezes, pacientes com alterações nas sacro ilíacas observadas na radiografia ou mesmo na ressonância magnética podem não ter a doença.