Estudo de dose resposta da vacina febre amarela garantiu imunização de longo prazo em dose reduzida

Esta pesquisa começou em 2009 com aplicação da dose reduzida em 900 participantes do chamado estudo clínico. A iniciativa teve financiamento da organização britânica Wellcome Trust e apoio da Organização Mundial de Saúde (OMS). A dose reduzida da vacina de febre amarela produzida pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz) garante imunização similar à da dose padrão após 8 anos do momento da vacinação. A novidade foi confirmada com a apresentação dos resultados da segunda fase de uma pesquisa com voluntários, iniciada em 2009 com aplicação da dose reduzida em 900 participantes do chamado estudo clínico. A iniciativa teve financiamento da organização britânica Wellcome Trust e apoio da OMS.

Dos voluntários da pesquisa feita inicialmente em 2009, 374 foram localizados pelo Instituto no ano passado e, após a realização de entrevistas individuais e a análise de alguns dados, foram convidados a participar desta segunda etapa da pesquisa. Ao final dos procedimentos da pesquisa, foram analisados os dados de 319 participantes da pesquisa.

 

vacinafebre amarela surto minas alex de jesus estadao conteudo

Mesmo aplicando 1/5 da dose padrão, a vacina de febre amarela sustenta a
proteção similar por pelo menos 8 anos. Imagem: Alex de Jesus / Estadão Conteúdo

 

A medida se inseriu no rol de iniciativas de Bio-Manguinhos para enfrentar o cenário de surto de febre amarela que o Brasil passa desde o início de 2017.

Os resultados dessa etapa indicam que mesmo com a aplicação da dose reduzida em 1/5 da dose padrão, a vacina de febre amarela de Bio-Manguinhos sustenta a proteção similar, por pelo menos 8 anos do momento da vacinação. Anticorpos contra febre amarela após 8 anos foram detectados em 85,3% dos participantes, semelhante ao observado com a dose padrão neste mesmo período.

Os resultados de 2009 já davam suporte ao uso de doses fracionadas da vacina FA, como demonstrado no controle da epidemia na República Democrática do Congo pela OMS, que utilizou 1/5 da dose Padrão da Vacina de Febre Amarela de Bio-Manguinhos/Fiocruz.

 

Jornalista: Paulo Schueler

 

Leia mais:

arrow-2 Informações sobre febre amarela

  

​