Acesso à informação #CopaDasCopas

Poliomielite Oral

vacina-polio-oralA vacina utilizada no país é produzida por Bio-Manguinhos a partir do concentrado viral monovalente (bulk) importado, segundo as normas da Organização Mundial de Saúde (OMS). São utilizadas as cepas de vírus atenuados Sabin tipos 1 e 3, propagadas em cultivo de célula diplóide humana (MRC5). A vacina tem especial importância para o Programa Nacional de Imunizações no que se refere à erradicação da poliomielite.

A doença já foi de alta incidência no país, deixando centenas de deficientes físicos por ano. Hoje, encontra-se erradicada no Brasil em virtude das ações de imunização e vigilância epidemiológica desenvolvidas de 1980 até 1994, quando o país recebeu o "Certificado de Erradicação da Transmissão Autóctone do Poliovírus Selvagem nas Américas". A partir de então, há o compromisso de manter altas coberturas vacinais, de forma homogênea, além de uma vigilância epidemiológica ativa capaz de identificar imediatamente a reintrodução do Poliovírus, e adotar medidas de controle capazes de impedir a sua disseminação.

A partir de agora, a criança recebe as três primeiras doses do esquema – aos dois,  quatro e seis meses de vida – com a vacina inativada poliomielite (VIP), de forma injetável. Já a vacina oral poliomielite (VOP) continua sendo administrada como reforço aos 15 meses, quatro anos e anualmente durante a campanha nacional, para crianças de um a quatro anos.

Apresentação do produto: 50 bisnagas contendo 25 doses.

 

Saiba mais sobre a poliomielite