Acesso à informação #CopaDasCopas

Fornecimento

frascos-vacina-triplice-viralDistribuição de vacinas

Bio-Manguinhos é o principal fornecedor de vacinas do Ministério da Saúde e sua produção é feita a partir da previsão anual do Programa Nacional de Imunizações (PNI). A Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) coordena o PNI e define como serão as estratégias de utilização de imunobiológicos segundo a previsão da taxa de natalidade brasileira do respectivo ano e a situação epidemiológica do país. As vacinas demandadas pelo PNI são produzidas em Bio-Manguinhos e transportadas em caminhões frigoríficos para o Centro Nacional de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Cenadi), permanecendo em câmaras frias até a aprovação dos lotes de vacinas e diluentes pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS). Uma vez liberados, o Cenadi envia lotes em caixas térmicas para as coordenações estaduais de saúde, onde também são conservados em câmaras frias. Desta mesma forma, é feito o transporte para as centrais regionais, onde as vacinas também ficam armazenadas. Lá, os representantes dos postos de vacinação retiram a quantidade necessária para um determinado período na região em que atuam. Só em 2017, mais de 132 milhões de doses* foram fornecidas ao PNI, sendo que nos últimos cinco anos (2013 - 2017) cerca de 480 milhões de doses foram entregues.

 

mapa-exportacao-vacinas-reduzido
Clique no mapa para ampliar

Exportação de vacinas

Em decorrência da pré-qualificação da vacina febre amarela pela Organização Mundial da Saúde, obtida em 2001, Bio-Manguinhos detém o direito de fornecer esse imunobiológico para as Agências das Nações Unidas, desde que cumprido o convênio com o Ministério da Saúde. Além disso, o excedente de produção desta vacina pode ser exportado também para governos e instituições públicas internacionais. Cerca de 160,4 milhões de doses da vacina febre amarela foram exportadas para agências das Nações Unidas, desde a obtenção da pré-qualificação. Com a exportação deste produto para 74 países, Bio consolidou-se como um dos grandes fornecedores da vacina, contribuindo com os esforços para a melhoria das condições de saúde em todo o globo. Em 2017, foram exportadas 2.801.800 doses para Venezuela, Equador, Colômbia, Angola. 

 

 

bio-manguinhos-fiocruz-reativos-exportacao-distribuicaoDistribuição de reativos

Bio-Manguinhos fornece uma completa linha de kits de reativos para diagnóstico e painéis sorológicos para suprir as demandas dos programas de controle de endemias e agravos da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), através do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais e a Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB), e da Hemorrede Brasileira por meio da Secretaria de Atenção à Saúde. Esse fornecimento é realizado através de convênios que permitem a distribuição dos reativos aos laboratórios da rede pública. O Instituto também atende aos pedidos de doações feitos por instituições públicas. Em 2017, mais de 5,9 milhões de reações foram entregues, sendo que nos últimos cinco anos (2013 - 2017), foram quase 32 milhões de reações.

 

Contratos e convênios para distribuição de reativos

arrow-1Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites Virais (D-DST/Aids) e a Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB), que fazem parte da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS)

arrow-1Hemorrede Brasileira, por meio da Secretaria de Atenção à Saúde - SAS

 

alfataliglicerase-430x285Fornecimento de biofármacos

Bio-Manguinhos é um dos fornecedores do Programa de Medicamentos Excepcionais do Ministério da Saúde, através de uma parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. A distribuição de biofármacos permite à população acesso gratuito e garantido a produtos de elevada tecnologia, fortalecendo os princípios de universalidade, integralidade e equidade que norteiam as ações do Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2017, mais de 9,3 milhões de frascos foram entregues, sendo que nos últimos cinco anos (2013 - 2017), foram cerca de 52 milhões de frascos. O Instituto contribui, assim, para a redução do alto impacto econômico de diversas doenças.

 

* Dados atualizados em janeiro de 2018.

 

Em 2017, foram 2.801.800 doses para Venezuela, Equador, Colômbia, Angola.